Umas férias curtinhas, mas bem curtidas BILBAO

Dilu e eu acabamos de criar a coluna para eu falar sobre Portugal, mas por coincidência, viajei para a Espanha. Imagine se eu poderia deixar de comentar sobre esse lugar maravilhoso! Imagino também que vocês vão gostar de eu ir colocando, paralelamente, as experiências que terei em outros lugares, que não sejam apenas da minha terrinha amada, uma vez que adoro viajar e aproveito todas as oportunidades que me aparecem. Dessa viagem em especial, os posts serão divididos em capítulos porque há muito para contar. Hoje trago o primeiro falando sobre Bilbao.

.

Umas férias curtinhas, mas bem curtidas

Por Mônica Leite de Campos

Mônica Leite de Campos

Mônica Leite de Campos

Capitulo I

BILBAO

Como só tinha uma semana de férias no verão europeu decidi escolher um destino que há muito era desejado, aliando cultura, beleza, gastronomia e o melhor, pouca distância de Lisboa. Voamos pela TAP. O destino foi Bilbao/San Sebastian aqui no nosso país vizinho, Espanha. Escolhemos como Hotel o Silken que fica mesmo em frente ao Museu Guggenheim e a distância de uma caminhada dos pontos mais centrais.

Bilbao 2

Os quartos são bons com um excelente banheiro. A insonorização do quarto deixa um pouco a desejar mas fica compensada com a varanda no terraço do último andar onde é servido o café da manhã. O Hotel é super moderno e tem no centro uma escultura que é visível de todo o hotel.

escultura Silken

.

A vista sobre o museu é fabulosa e sobre toda a ria de Bilbao. Deste ponto é possível passear a pé pelo comércio, beira rio e parte antiga. A cidade é plana e bem organizada.

Bilbao

.

Tivemos a sorte de encontrar a cidade em festa e todas as noites havia um espetáculo de fogos de artifício que mereciam ser vistos. Como uma boa cidade espanhola, como estavam em festa, o comércio estava encerrado.

Bilbao 3

.

Tive muito cuidado em escolher onde comer porque o tempo era pouco e tinha muito para provar. O primeiro jantar foi no Etxanobe, um restaurante tradicional com cozinha local. O ambiente do restaurante muito agradável e o pessoal uma simpatia. O chefe andava pelas mesas com alegria e cordialidade, explicando cada prato a quem quisesse saber e eu claro, aproveitei… até me ofereceu um livro com as receitas do seu programa de televisão. Se for verão é possível comer na varanda. A frequência era de habitantes locais e algum turismo.

Etxanobe restaurante

.

Experimentamos o menu especial das festas da cidade Aste Nagusia 2014. Produtos da melhor qualidade e confecionados na perfeição, experimentamos desde Gambas com gel de limão a uma lasanha de anchovas maravilhosa (eu achava que não gostava de anchovas). Vinhos: estavam incluídos no menu e mereciam a comida.

Etxanobe copinhos

.

A pior recordação: não ter escolhido a varanda para jantar porque estava uma noite fabulosa. A melhor recordação: a lasanha de anchovas.

Etxanobe anchovas

.

A maior curiosidade: os chocolates do café eram servidos numa caixinha de costura em homenagem as costureiras locais.

chocolate

.

A visita ao Museu Guggenheim, onde é preciso ter calma e tempo para a visita, porque é uma obra de arte em todo o seu esplendor, é obrigatória.

Entrada do museu e o seu fiel cão

Entrada do museu e o seu fiel cão

.

Vale comprar o bilhete na internet e o guia audio, que é muito bem explicado e faz com que tenhamos uma visão completa de cada detalhe do museu.

Guggenhein

.

Estavam duas exposições a decorrer, uma moderna YOKO ONO, confesso que não consigo entender aquela arte e GEORGES BRAQUE com algumas obras importantes.

uma das esculturas exteriores do museu

 

Mas o Museu é tão incrível que o que lá se expõem fica sempre pouco para tanta dimensão.

Guggenhein 2

.

Fiz uma reserva para o restaurante do Museu (são três: Bistró, Nerua e uma cafetaria na parte externa). Escolhi o Nerua com uma estrela Michelin e na hora marcada, estávamos a porta. Como não podia deixar de ser o restaurante é em si mesmo uma obra de arte arquitectónica, na sua forma e organização. Uma sala impecavelmente branca com cadeiras em madeira clara e nada de decoração.

Nerua sala

 

Somos logo convidados a visitar a cozinha e provamos umas pequenas delícias para a apresentação do conceito (é possível comer no balcão da cozinha) mas achei a cozinha higiênica demais e perdeu logo o interesse.

Nerua

.

O restaurante apresenta dois menus degustação e a nossa escolha foi para o mais comedido, me assusta tanto prato. No final do almoço achamos que tínhamos escolhido bem, a medida era certa, não era possível comer mais….ou melhor a comida não merecia ser tão comida…

Nerua menu

.

A cozinha de vanguarda, experimental, tomates cherry recheados de ervas, cada um com o seu sabor devidamente diferenciados. Pele de bacalhau desidratada e frita para estufar como se fosse um torresmo (um torresmo mineiro é melhor… ou seria a saudade…)

chocolate

 

Gostei dos pratos em geral mas nada de surpreendente. O nhoque de beterraba que acompanhava a carne era uma decepção no sabor, na textura e na apresentação. As sobremesas estavam gostosas, nota 10 para uma folha de suspiro de framboesa.

Guggenhein sobremesa

 

A sobremesa de chocolate (e de chocolate o meu marido entende) quase a 100% era acompanhada com uma farinha picante de massapão e pitadas de sal que combinavam na perfeição.

Guggenhein chocolate

.

A melhor lembrança: o local da nossa mesa junto a janela, a única da sala e que nos dava a sensação de estarmos integrados no próprio museu e um kefir com chá preto delicioso e original.

kefir com chá preto

 

Vinhos: escolhemos uma cava da Rioja

Etxanobe vinho rioja

.

A pior lembrança: o nhoqui porque eu estava com muita expectativa.

A maior curiosidade: um tiramissu desidratado e reconstruído em chocolate mas os sabores estavam lá. E outra, espiar ao nosso lado, um casal japonês (que escolheu o menu completo) experimentar cada prato, mas são tão disciplinados que eu não consegui saber se estavam gostando ou não.

Apesar da parte moderna da cidade ser muito bonita e atraente, vale conhecer a parte antiga e visitar os bares para tapear um pouco.

Tempo de visita adequado: depende de cada um mas dois dias são suficientes no meu entender.

Estávamos muito curiosos pelo que vinha a seguir porque no caminho para San Sebastian, fizemos um kms a mais para ir dormir no Marqués de Riscal….este merece um história a parte.

Desfrutem da vida que o tempo não anda para trás. Até a próxima….

 

 aaaa

Se quiseres receber um email avisando quando publicamos um novo post, por favor deixe seu email aqui. Obrigada, Mônica

BBB

 

Você poderá gostar de:

19 comentários em “Umas férias curtinhas, mas bem curtidas BILBAO

    • Daniela eu tinha muita curiosidade por causa do museu mas Bilbao é uma cidade encantadora que vale a visita. Beijo, Mônica

    • Marina as minhas viagens começam muito antes estudo cada local os pontos a visitar, as comidas típicas, os hábitos locais, as feiras, os mercados e a região. Quando chego gost de me sentir em casa. Me conte o resultado. Beijo, Mônica

    • Katarina comida boa, cama quentinha, lençol branquinho, uma garrafa de vinho tinto e uma lua no céu fica difícil resistir….

  1. Mônica, que jeito gostoso de escrever! Fiquei encantada com suas descrições e me senti em cada lugar de que você falou! Não vejo a hora de conhecer! Beijos

    • Ana Paula se precisar de ajuda no circuito é só dizer. Fico feliz em despertar os sentidos que são a nossa maior riqueza. Beijo, Mônica

  2. Eu e uns amigos estivemos lá semana passada e o ursão estava em manutenção, quase morri de dó. Eu queria tanto ver, mas ele tava todo coberto. Mas o museu é uma coisa do outro mundo, tão bacana, tão fenomenal, incrível. Beijão Monica, to adorando seus posts

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CyberChimps