VIVO SEM OS CEM MUITO BEM, OBRIGADO

Mesmo eu tendo feito parte do júri para escolher os melhores restaurantes da América Latina de 2014 veja aqui, os melhores da VEJA Comer & Beber Belo Horizonte veja aqui, e antes mesmo de criar o Dilucious, dei minha opinião sobre estas listas que selecionam os melhores restaurantes veja aqui. Listar o melhor isso, melhor aquilo é mesmo algo complexo, delicado, chego a pensar que, escolher um, dez ou cem, deve ser, senão impossível, quase. Enfim, você imagina quantas refeições nos restaurantes estrelados chegam ao final, sem que nada fique na memória dos comensais?

Coleção linda do Guia Michelin

O GUIA MICHELIN, que confere estrelas aos restaurantes, foi criado em 1900, inicialmente oferecido como cortesia pelos fabricantes de pneus Michelin, para ajudar motoristas a encontrar estabelecimentos que ofereciam boas comidas pelas estradas.

 

VIVEMOS SEM OS CEM MUITO BEM, OBRIGADO

Por Dilu Bartolomeo Villela

 guia-michelin

O post de hoje vem para falar sobre listas, sobre o Guia Michelin, lançado na última semana, e aproveita para introduzir uma novidade no mercado: a escolha dos 100 grandes chefs do mundo. Mais uma lista! Então… Façam suas apostas! Quais serão os contemplados e quantas estrelas cada um há de merecer?

.

Coleção do Guia Michelin exposta na recepção do Maison Pic em Valence

Coleção do Guia Michelin exposta na recepção do Maison Pic em Valence

– “De que você está falando Dilu? Custa caro, muito caro sentar numa mesa dessa. “Normal” que senta com outros “normais” como eu, nas cadeiras duras dos botecos, ou no máximo, nas almofadas de algum bacaninha restaurante tupiniquim, o que tem a ver com apostas, prêmios, estrelas, etc e tal? Vivo sem os cem muito bem, obrigado” 

.

Bom atendimento é o maior objetivo dos bons restaurantes

Bom atendimento é o maior objetivo dos bons restaurantes

.

Sei que muitos me falariam exatamente isso (e não adianta fazer apostas, já que a lista está pronta), mas como esse blog gira em torno da gastronomia…

.

Tudo entorno da comida é importante para acrescentar ou perder estrelas

Todo o entorno é importante para acrescentar ou perder estrelas

.

Por girar em torno da gastronomia, podemos sim observar (e quem sabe, analisar), de longe, a festa (seletíssima) que aconteceu na semana que passou, quando o mundo da alta/média/baixa gastronomia ficou todo ouriçado. Ah… um detalhe: quem comemorou foi só a alta, tá? Muitos festejaram o que para alguns foi um pesadelo, principalmente para aqueles que “se acham”!

.

"A REAL COZINHA É UMA FORMA DE ARTE" Cartão no Hosttellerie L'Abbaye de la Celle do chefe Alain Ducasse

“A REAL COZINHA É UMA FORMA DE ARTE”
Cartão no Hosttellerie L’Abbaye de la Celle do chef Alain Ducasse

.

É… Mas uns “se acharam”! Outros adquiriram asas e, sem mais nem menos, lá estavam eles no paraíso. Outros olharam com olhos de “um dia chego lá”. Ah, teve também os ressabiados cheios de desconfiança… E a ala da inveja? Sobre esses, nem quero falar! Pior “praqueles” que souberam, na marra, o verdadeiro significado do “eu era feliz, e não sabia”, ao perderem sua tão trabalhada estrela. Outros, tadinhos, se cobriram com o manto dos injustiçados…

.

Até a manteiga recebe uma atenção especial

Até a manteiga recebe uma atenção especial

.

Falando em injustiça, por que cargas d’água esse Michelin ainda não se dignou a dedicar algumas páginas aos nossos restaurantes? O Guia Michelin avalia milhares deles em 24 países mundo afora, e o Brasil… “ô coitado”!

.

Cipriani no Copacabana Palace... Sem comentários!  Veja o post ALTA X BAIXA GASTRONOMIA

Cipriani no Copacabana Palace… Sem comentários!
Veja o post ALTA X BAIXA GASTRONOMIA

.

Nos meus sonhos de brasileira gourmet, fantasio uma mídia anunciando que “fulano conquista três estrelas, o máximo do Guia Michelin”, “sicrano recupera a distinção perdida no ano passado”, “beltrano passa a ser o primeiro brasileiro a alcançar blá blá blá”…

.

Restaurante considerado muito bom no Rio de Janeiro que nos decepcionou

Chef considerado muito bom no Rio de Janeiro: nos atendeu muito mal e nos decepcionou com uma comida mediana para ruim

.

Será mesmo injustiça? Ontem fiquei pensando o porquê do Brasil, até hoje, não ter estrelas. Só para situar, as estrelas são símbolo de qualidade internacional. Será que estaria aí, a explicação de não termos nem uma estrelinha pra chamar de nossa? Um restaurante nível estrela Michelin implica regularidade e consistência, e isso, infelizmente…

.

A comida estava uma delícia, mas o atendimento... O garçom insistiu com o Luiz umas três vezes, quando ele dizia que não tinha pedido um drink. Ia e voltava do bar com o drink na mão, dizendo que o Luiz estava enganado: "O senhor pediu sim!" rsrsssss....

A comida estava uma delícia, mas o atendimento… O garçom insistiu com o Luiz por três vezes, quando ele dizia que não tinha pedido um drink. Ia e voltava do bar com o drink na mão, dizendo que o Luiz estava enganado: “O senhor pediu sim!” rsrsssss….

.

Bem, para bom entendedor, meia palavra basta! Se não entender, basta comer fora meia dúzia de vezes para sentir na pele, no estômago e principalmente no bolso, os motivos de não sermos laureados com estrelas. Contradizendo tudo isso, ouvi um boato que em março sai o primeiro Michelin contendo dicas de São Paulo. Esperar pra ver!

.

sem os cem chefs quadro negro.

Deixa as estrelas do Brasil pra lá! Voltando ao assunto principal do post, preferência pessoal é algo subjetivo, como definir os critérios e como confiar no compromisso de cada integrante do júri com esse ou aquele estabelecimento? Como escolher entre os 609 restaurantes com estrelas Michelin, os 503 com 1 estrela, os 80 com duas estrelas e os 26 com três estrelas?

.

Da mesa, podíamos ver todo o movimento da cozinha

Oito amigos e eu tivemos um jantar sofrível neste restaurante que está entre os 100 melhores do mundo.

.

Ainda mais, imagino eu, que nas altas esferas, existem os mais poderosos dos poderosos, e para eles, o júri sente dificuldade, pois quem “é macho” para decidir se, chef elevado à categoria de rei, vai perder a majestade, digo, perder a estrela? Isso pode desabar uma tempestade no firmamento ou no mínimo, criar bastante polêmica.

.

budakkan.

Por outro lado, quem tem oportunidade de viajar e faz da viagem um canal de conhecimento gourmet, já deve ter notado os “delírios” que os chefs orientais estão cometendo no universo dos olhinhos puxados. Paris já deixou para trás o posto de capital mundial da gastronomia, cedendo o lugar para Tóquio.

.

sem os cem chefs_Fotor_Collage.

Lembrando ainda que, às vezes, nada tem de sofisticado nesses templos da alta gastronomia. Existem “mestres” que trabalham numa estação de metro, e seu restaurante nem mesa tem (muito menos, banheiro). Acredite se quiser: as pessoas comem em pé, de frente para o balcão. Similar a esses, têm casos que não deixam dúvidas.

.

.

Peguei esse video emprestado do YouTube

.

Como tudo na vida, mesmo achando dificílimo selecionar os melhores, essas e outras, são listas indispensáveis para os amantes da boa mesa. Alguém falou lá no início que é caro, muito caro, sentar a uma dessas mesas, mas se quiser saber o que os “melhores do mundo” têm a oferecer, é bom pensar na experiência como um investimento.

.

 L'Auberge des Glazicks do chef Olivier Bellin  Em Plomodiern, minúscula cidade no interior da Bretanha

L’Auberge des Glazicks do chef Olivier Bellin
Em Plomodiern, minúscula cidade no interior da Bretanha

Muitas vezes, não vai valer o investimento, você vai lembrar do jiló e seu gosto amargo na boca. Outras não! Você vai lembrar dum doce de coco e lembrar de seu doce sabor para todo o sempre, mesmo que esse sempre seja o próximo restaurante tão bom quanto… rsrsssss…

.

Helado de Masa Madre  El celler de Can Roca

Helado de Masa Madre
El celler de Can Roca

.

Quando eu viajo, seleciono os restaurantes que fazem parte das listas, mesmo não entendendo os critérios utilizados na escolha dos melhores. Por isso, passo a seguir, e a quem interessar, a nova lista que saiu recentemente:

.

100 chefs

100 chefs 2

100 chefs 3

100 chefs 4

100 chefs 5

100 chefs 6.

Camelia (Paris)

Camelia (Paris)

Epicure

Epicure

Dos 100 chefs, tive a oportunidade de experimentar a comida dos seguintes:

Bastide de Moustiers do chef bã bã bã Alain Ducasse... uma bobagem!

Bastide de Moustiers do chef bã bã bã Alain Ducasse… uma bobagem!

1 – Pierre Gagnaire no Gaya (Paris)

2 – Joan Roca no El celler de Can Roca (Girona)

3 – Alain Ducasse no Le Relais Plaza do Plaza Athénée

– no Benoit (Paris)

– no La Bastide de Moustiers (Moustiers-Sainte-Marie)

– no L’Hostellerie de l’Abbaye de la Celle (La Celle en Provence)

– no Le Grill do Hotel de Paris (Mônaco)

4 – Eric Frechon no Epicure (Paris)

5 – Yannick Alleno no Terroir Parisien (Paris)

6 – Daniel Humm no Eleven Madison (NY)

7 – Martin Berasategui no Martin Berasategui (Espanha)

8 – Joel Robuchon no La Table de Robuchon

– no L’Atelier (Paris)

9 – Michel Troisgros no Troisgros (Roanne)

10 – Allan Passard no L’Arpege (Paris)

11 – Guy Savoy no Guy Savoy (Paris)

12 – Daniel Boulud no Daniel (NY)

13 – Anne-Sophie Pic no Maison Pic (Valence)

– no La Dame de Pic (Paris)

14 – Hans Hass no Tantris (Munique)

15 – Carme Ruscalleda no Moments (Barcelona)

16 – Thierry Marx no Cordeillan-Bages (Pauillac)

– no Camélia (Paris)

17 – Alex Atala no D.O.M.

– no Dalva e Dito (S.P.)

18 – Eric Ripert no Le Bernadin (NY)

19 – Olivier Bellin no L’Auberge des Glazicks (Plomodiern)

20 – Elena e Juan Mari Arzak no Arzak (San Sebastian)

21 – Jean-Georges Vongerichten no Market (Paris)

Prometo arrumar um tempinho para postar minha experiência em cada um dos que não coloquei o link.

.

OK! Sei perfeitamente que não preciso gastar muito com nenhum desses nomes que acabo de listar! Até hoje, quem decidiu pagar e não gostou, disse: VIVO SEM OS CEM MUITO BEM, OBRIGADO. Teve também quem amou e mesmo assim… disse: VIVO SEM OS CEM MUITO BEM, OBRIGADO! É isso, resumindo todo esse blá blá blá, “gastronomicamente” falando, precisamos todos de muito menos para sermos felizes!

.

.

aaaa

Se quiser receber um email avisando quando publicamos um novo post, por favor deixe seu email aqui. Obrigada, Dilu

BBB

Você poderá gostar de:

14 comentários em “VIVO SEM OS CEM MUITO BEM, OBRIGADO

  1. Olha, eu não botava fé em algum restaurante Michelin depois de ter dito decepção lá em Paris em um restaurante do Guy Savoy, mas tive supresa MUITO agradável ao jantar num restaurante (Tagide) de uma estrela Michelin em Lisboa e não era nada do que eu imaginava da comida dos restaurantes premiados pelo guia. A comida era verdadeira, sem invenção de moda, era muitíssimo bem preparada e saborosa! E o preço achei super honesto, sem nos sentirmos roubados. Atendimento primoroso! Depois desta experiência comecei a repensar sobre o significado do guia Michelin. Já ouvi falar que existe um restaurante na China que mais parece uma lanchonete e tem uma estrela do guia! Tenho uma certa impressão de que vou gostar mais de 1 estrela do que 3 estrelas.

    • Maria querida, estava agora mesmo conversando com a Ana Paula Lanari que fez um post sobre o Vila Joya http://dilucious.com.br/?p=13162, restaurante português da melhor qualidade. Agora… você está dizendo uma coisa que me fez prestar atenção num detalhe super importante. Não tem nenhum chef português. Vai explicar isso, sendo que, HOJE, Portugal é um dos lugares que se come melhor na Europa.

      Quanto as estrelas, é normal que cheguemos com muita expectativa num 3 estrelas, e as vezes, isso atrapalha. Mas, tenho cá comigo e com minhas últimas experiências, que bom mesmo são os mais simples. Você tem razão!

    • Ah Patricia, você é uma fofa! Que linda gente… hummm… emocionei! Estava com um mundo de coisas pra olhar e não consegui escrever esse post pra colocar ontem. Um beijo grande e carinhoso pra vc e muito obrigada pelo carinho

  2. Adorei saber o origem do guia Michelin, nar fazia a menor idéia. E fiquei pensando que papai gostava de parar para comer na estrada, naquele restaurante cheio de caminhões na porta. Dizia que era sinal de boa comida! Rsrsrsrsrs As coisas evoluem, mas nem tanto! Beijos Fada

    • Amiga, não lembro de nada da minha infância, o seu oposto, mas me lembro qdo íamos pra Iriri e parávamos na estrada pra comer: macarrão, arroz, feijão, batata frita, salada, e….. carne de porco! Ave maria, que maravilha!

  3. Só sei Diluzinha que essa coisa de estrelas não funciona, o negocio é seguir as dicas dos amigos, mas gostei demais do jeito que vc colocou o assunto

    • Obrigada Mariana!
      Você tem razão, seguir dicas dos amigos é sempre a melhor opção. Mas seguir apenas as dicas dos amigos às vezes não sustenta, e é preciso procurar pelos guias profissionais. E é aí que entra o estrondoso sucesso que eles fazem. Bjs minha linda

  4. Precisamos todos de muito menos para sermos felizes!
    Adorei !!! Mas, com essa frase, minha querida , linda e talentosa Dilu ___de todas as prendas___vc falou TUDO!!!
    Quem sou eu para opinar, uma chata que não gosta de nada mas, porém, todavia, que alívio saber que essa rainha da gastronomia, achou a comidinha do Ducasse em Moustiers St.- Marie, danadinha de mais ou menos…
    Ufa!!!Arrumei uma “cumpanheira”!
    Já L’Abbaye de la Celle, foi memorável , bem como Troisgros à Roanne ou à Lyon, deixando o Boulud na rabeira, pelo menos nos Daniel’s da vida ( Vegas & NY) e pra encerrar meus parcos conhecimentos gastrôs, muitas palmas pro Arzak de San Sebastian!
    Azar de quem não foi…rsrsrs

  5. Otimo post , Dilu !
    Já tive grandes surpresas em restaurantes desconhecidos assim como grandes decepções em lugares estrelados …
    Estive com Bernard Loiseau , em Salieu , poucos dias antes de sua morte . Atormentado pelas infundadas ” fofocas ” que previam a perda de estrelas , êle não suportou a pressão e se matou .
    Passei por lá , anos depois . Tudo parecia estar como antes : as três estrelas , a bela boutique , o charmoso hotel … sob o comando de Mme Loiseau e um novo chef .
    Muito me entristece pensar no que acontece ” nos bastidores ” dessas listas …então , faço coro aos que dizem ” Vivo muito bem sem os cem ! ” e assino embaixo , quando você diz que ” precisamos todos de muito menos para sermos felizes !”

  6. Ah minha maravilhosa… que tristeza! Nunca havia pensado por esse lado. Com seu suor, dedicação, amor, com sua arte, Loiseau construiu um pequeno império e de repente, se foi. Os que ficaram, tocam o viver normalmente… até as estrelas permanecem, talvez querendo dizer: “precisamos todos de muito menos para sermos felizes”… meu Deus! Agora sim, essa frase tomou uma postura correta e honesta. Sim, precisamos sim, de muito menos.
    Um abraço minha flor, meu coração apertou!

  7. Muito bom este post, pra variar não é Dilu? Todos são bons ! Restaurante bom é restaurante que os amigos indicam, né?
    Nossa, eu tb fiquei triste com essa lembrança do chef que morreu por causa da estrela, tantas coisas mais importantes e ai pronto, vai ele e fica o legado pros outros. Afff!!!

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CyberChimps