Entrevista – A ARTE DE RECEBER

Entrevista

A ARTE DE RECEBER

Gente, olha esta entrevista que dei pra uma revista. Para ilustrar, acrescentei as fotos.

Fotos: Priscila Bartolomeu, Beth Sanches e Dilu Bartolomeo Villela
Cosme e eu

Cosme e eu na foto da entrevista

.

– De onde vem o seu prazer em receber?

Comida é sempre a expressão de um povo. A liberação da mesa, na Renascença, foi uma contribuição dada por Bartolomeo Sacchi quando escreveu o livro “De honesta voluptate et valetudine, sobre a virtude da gastronomia, defendendo o que na época, a Igreja considerava pecado: o prazer de comer. Daí, na Itália, começou a inovação no estilo de cozinhar e na apresentação dos pratos. Entre os séculos 14 e 15, cidades como Veneza e Florença se transformaram em centros de refinamento cultural e artístico. Foi nesse período que os banquetes e os exageros da Idade Média deram lugar ao requinte, à sobriedade e à moderação.

Ah… Respondendo sua pergunta. Quem sabe eu tenha um grau de parentesco com esse Bartolomeo e herdado dele o prazer em comer e consequentemente o Prazer em receber… Rsrrsssss

.

Conferindo os últimos detalhes

Conferindo os últimos detalhes

.

– Quais os motivos que te levam a receber?

Ah… São vários…  O amor à gastronomia, com certeza é o maior deles.  Observo que meu modo de servir surpreende e faz com que as pessoas se sintam contentes… e porque não dizer, integradas numa cultura gastronômica atual.

.

Mangia che te fa benne! Compartilhar a mesa é comemorar a vida. É um ritual para os italianos, pois trata de uma relação quase ancestral entre a comida e os momentos de prazer e familiaridade onde a mesa é usada como arma de sedução e conquista.

Mangia che te fa benne!
Compartilhar a mesa é comemorar a vida.
É um ritual para os italianos, pois trata de uma relação quase ancestral entre a comida e os momentos de prazer e familiaridade onde a mesa é usada como arma de sedução e conquista.

.

Outro motivo é o prazer em criar novos pratos, pois assisto, com um certo ar de bruxa, a admiração e satisfação estampada no rosto dos meus convidados, como se tivessem enfeitiçados.

Arroz com pequi

Também, porque amo a mesa. Existe uma generosidade nata que vem do sangue mineiro e do sangue italiano. Nasci em Minas e meus avós na Itália (sou cidadã italiana), duas regiões onde estar à mesa ou, Stare a tavola, é um momento quase sagrado.

.

Montagem da mesa

Montagem da mesa

.

– Para uma reunião ser agradável, o que precisa ter?

Um reunião é uma maneira delicada, atraente e simpática de reunir pessoas queridas. Ao receber, apresento aos meus convidados aquilo que mais prezo que é a minha casa e disponho o que de melhor tenho dentro de mim, a generosidade. É nisso que deposito todo o meu empenho.

.

Pré-preparo

Pré-preparo

.

Do pré-preparo à degustação, tenho como intuito saborear cada momento, tentando colocar o máximo de amor e zelo em cada detalhe. Sei o quanto isso é percebido no final.

.

Montagem dos talheres

Montagem dos talheres para facilitar o serviço da cozinha

.

Para isso, é necessário carinho e dedicação na escolha do cardápio com intenção de agradar cada um. Tento demonstrar isso com ternura.

.

Queijo damasco.

Sempre coloco um ingrediente peculiar que cada um dos convidados gosta e na hora, falo com displicência: “Ah Fulano, coloquei esse Marron Glacê… lembrei que você ama”.

.

Capricho no servir

Capricho no servir

.

Exige igualmente atenção aos detalhes práticos oferecendo um clima aconchegante e convidativo com o cheirinho agradável da casa, a iluminação, a climatização, o som, os arranjos de flores (sempre de verdade e se possível simples e feitos por mim mesma) e até mesmo, preparar estacionamento para todos. Não tenho o costume de pedir ajuda a profissionais, prefiro ter “a minha cara” na minha casa.

.

Decoração simples e chic

Decoração simples e chic

.

Prefiro não exceder na decoração, pois todos sabem mais ou menos o que vão encontrar, criam expectativa e esperam que aqui em casa a estrela seja a comida.

.

Caldo de Pé de porco com Vinho do Porto Batatinha recheada com carne do pé de porco (Dilu, aprendi com Henrique Gilberto)

Caldo de Pé de porco com Vinho do Porto
Batatinha recheada com carne do pé de porco (Dilu, aprendi com Henrique Gilberto)

.

Em um ambiente informal, alegre e acolhedor. Gosto assim, pois espero ter um convidado relaxado, mimado, satisfeito e encantado, enfim, emocional e fisicamente bem “alimentado”.

.

Bem alimentados

Emocional e fisicamente bem alimentados!

.

Um passo importante para alcançar um resultado final favorável e poder estar constantemente recebendo, acredito de que pelo fato de não me estressar, pois faço tudo do meu jeito.

.

Grissini . Brandade de Bacalhau  Azeitona preta caramelada com Aceto de Amêndoas

Grissini . Brandade de Bacalhau
Azeitona preta caramelada com Aceto de Amêndoas

.

Por adorar receber, me preocupo apenas com a minha alegria por fazer o que me torna feliz, muito empenho no menu e pouca complicação na decoração.

.

Simples e lindo!

Simples e lindo!

.

– Vc mesma é quem prepara e decora os pratos?

Muitas vezes sim, e tenho o Cosme que me ajuda e consegue acompanhar minhas “viagens”.

.

Montando um prato

Montando um prato

.

Nas receitas que crio, além de considerar o aroma e o ajuste de sabores no correto desempenho, me preocupo também com a apresentação. É importante lembrar que cada um dos ingredientes é um elemento a ser esculpido numa mistura de texturas e cores.

.

Porto, Creme Brülée de Foie Gras e Espuma de Foie Gras

Porto de Boas Vindas, Creme Brülée de Foie Gras e Espuma de Foie Gras com Ouro

.

É preciso seduzir e experimentar um apelo através dos sentidos, pois a cozinha é a arte onde se consegue afinar os seis sentidos. Por exemplo, sentir o aroma do vinho ou da comida – o olfato é o mais requintado dos sentidos e o mais intensamente ligado às emoções, e ainda tem o poder de abrir o apetite.

.

Queijo com vinho.

Tocar o pão e sentir sua crocância. Degustar as muitas combinações perfeitas que Deus nos presenteia dentro desse universo vasto da gastronomia. Ouvir o tim tim… hummm… que melodia! Brindar e só desejar o bem daqueles que a gente mais ama.

.

ARO DE GERGELIM COM ESPUMA DE DOCE DE LEITE.

A visão…, poder transformar alimentos em obra de arte. Enfim, preocupar com o visual, também torna poética a alimentação. E o sexto sentido… esse sim, é o que faz toda a diferença. Comer não é só o que você leva à boca, mas o entorno… a fantasia que envolve aquele momento…

.

Tartare de Atum em Carpaccio de Manga e Pignole

Tartare de Atum em Carpaccio de Manga e Pignole com Molho Agridoce

.

– O que você leva em conta pra montar o cardápio?

Em primeiro lugar o cardápio deve ser criativo e generoso. Em segundo fico atenta ao que aquele convidado já comeu na minha casa, pois não desejo que ele repita. E como disse antes, privilegio o ingrediente preferido de cada um deles.

.

Captura de Tela 2015-06-25 às 20.40.52Menu Joie de Vivre segunda parte

A intenção não é somente satisfazer o apetite, mas transmitir emoções por intermédio de um equilíbrio criativo na combinação de aromas, texturas, sabores e cores.

.

Equilibrio

Equilíbrio

.

Opto por harmonizar o doce, o salgado, o azedo, o picante e amargo brincando com os ingredientes e desafiando o paladar, o que faz dessa escolha uma festa para os sentidos.

.

Sopinha gelada de tangerina e cenoura

GASPACHO DE TANGERINA, MARACUJÁ E CENOURA AO AROMA DE ANIS receita aqui

.

A cozinha além de preciosa, é um espaço abençoado. Pratico nela a minha “oficina da alegria”. Trabalho para deixar meus convidados seduzidos pelos bocadinhos, enfim, elaboro um menu degustação generoso na delicadeza e na riqueza das combinações que variam de 10 a 18 mimos, o que proporciona verdadeira viagem gastronômica.

.

Farofinha de Amêndoas Maracujá com Chocolate e Ouro Coulis quente de Maracujá

Farofinha de Amêndoas
Maracujá com Chocolate e Ouro
Coulis quente de Maracujá

.

As pessoas estão mais abertas à experiências, por isso, faço questão de trazer no cardápio, ingredientes dos quatro cantos do mundo, mas sempre sintonizando-os com os regionais, pois amo a comida e os ingredientes brasileiros.

.

Menu com as pequenas entradas

Menu com as pequenas entradas

.

Quando minha intenção é surpreender, me sinto estimulada e eu mesma preparo, por exemplo, sorvetes diferenciados que tenham algumas das características do meu cardápio.

.

Guacamole Dilucious

Guacamole Dilucious

.

Faço Sorvete de Caviar combinando com Blinis, Sorvete de Foie Gras servido em uma declinação de Foie, Sorvete de Pequi degustado com Carne seca, Sorvete Guacamole acompanhando tomate, etc. Isso proporciona imenso prazer a mim e aos muito amantes da gastronomia.

.

Sopinha de Morango Coalhada Redução de Aceto trufado . Pignole

Sopinha de Morango

.

Ontem servi Sorvete de Aceto trufado com Pignole harmonizando maravilhosamente com uma Sopinha gelada de Frutas vermelhas… Foi o Dilucious do dia! Show!

.

Normas

Uma mesa bem colocada ajuda as pessoas a seguiram o basico no que se refere às normas de etiqueta

.

– Vc segue à risca normas de etiqueta?

Discutir sobre boas maneiras pode parecer futilidade. Certas pessoas ligam a etiqueta à pompa, ostentação e ao luxo. Mas são simples regras para que tenhamos algumas reservas em sociedade nos dando até mesmo mais segurança em determinadas ocasiões, melhorando nossa postura e consciência social. Na verdade, a elegância deve fazer parte do dia-a-dia, não sendo mais considerado “artigo de luxo” das altas classes ou algo que ressoe maçante.

.

Total descontração

Total descontração. Luiz Guilherme servindo e os convidados sentados na mesa de centro…

.

Atualmente as regras de boas maneiras não são tão rígidas, tudo pode ser mais leve e mais natural. Ao receber em casa meu prazer está em acolher a família, os amigos e dividir com eles uma atmosfera de união, e para isso, extremamente mais importante, são os princípios fundamentais como deixar os convidados a vontade, criar um ambiente de alegria, manter discrição, ser acolhedora e cortês com todos do mesmo modo… Talvez isso sim, seja viver educadamente e sendo assim, eu pergunto: é preciso seguir as antigas e “austeras” normas de etiqueta?

.

Cosme servindo

Cosme servindo

.

– Em média, vc abre sua casa quantas vezes para receber convidados?

Para um encontro maior e planejado no máximo uma vez por mês. Aí são servidos os menus degustação de 18 pratos, e é preciso maior organização. Para receber a família uma vez por semana quando a comida é farta, familiar e o tempo é curto, pois todos tem de sair logo apos o almoço, para seus compromissos. Umas duas vezes por mês, só mulheres, o que é uma delícia! É onde aproveito para criar novos pratos e as amigas se tornam minhas cobaias! Hehehe… Elas não podem é ler isso! Rsrrsssss

.

Pequenas reuniões

Pequenas reuniões

.

E uma a duas vezes por semana, meu marido ama trazer os amigos para a “saideira”, hehehehe… – as vezes, mesmo depois de termos passado o dia inteiro juntos em outro lugar ou termos saído para jantar… Brincamos que nada chega…. Qdo é assim, tudo é bem informal e o que sirvo são improvisações que amo fazer.

.

Sempre tenho massa folhada em casa. Nesse dia servi com Strogonoff que sobrou do almoço.

Sempre tenho massa folhada em casa. Nesse dia servi com Strogonoff que sobrou do almoço.

.

Abro a geladeira e extraio do que tem dentro dela, um prato delicioso e confortante. Invento alguma coisa com o que sobrou do almoço…

E tem também os jogos de baralho. Ah… como adoro!

.

Reuniões para jogar baralho as vezes são no improviso, as vezes mais elaboradas.

Reuniões para jogar baralho as vezes são no improviso, as vezes mais elaboradas.

.

– Vc gosta de receber pouca ou muita gente?

No máximo 14 pessoas. Sou super organizada, mas esse estilo de serviço não permite muita gente. Fiz algumas vezes para 24 pessoas, mas ficamos muito cansados e o que deve ser prazer, pode se transfornar em stress. Não encomendo nada, tudo que é servido é feito aqui em casa. Do Grissini ao Petit-Fours, tudo. Imagine a logística que um encontro desse tipo exige. Ainda não tive tempo de contar, mas calculo que manuseamos em torno de 300 ingredientes.

.

Usamos muitos, muitos ingredientes

Usamos muitos, muitos ingredientes

.

– Então, além de ajudantes, a “cozinha” também tem de ajudar?

Para obter bons resultados, qualidade e sabor correto, uso utensílios e equipamentos adequados como seladora a vácuo, fatiador elétrico, raladores Microplane, termômetro digital, mandolin profissional, maquina de algodão doce, sorveteira, balança de precisão, e aparelhos de ultima geração como o Thermomix e Sous Vide. Como tudo é servido individualmente, são gastos em media 250 peças de loucas, 250 talheres e mais copos, taças, etc.

.

Utensilios da "Oficina da Alegria"

Utensilios da “Oficina da Alegria”

.

– Me descreva a mesa (utensílios usados, o que é servido, para qual a ocasião, enfim…)

Não tenho louças chiquérrimas e nem caríssimas. Coleciono pequenas vasilhinhas e talheres que afinam com a comida que sirvo em arranjos contrastantes, sempre de uma maneira provocativa.

.

casquinha-com-caviar 2.

As vezes uso cestinhas de palha do mercado, em bandejinhas de folha de ouro, louças brancas sobre jogos japoneses de laca pretos, tigelinhas de prata em folhas de bananeira, cones de acrílico, xicrinhas que trago de viagens, enfim, tudo misturado compõe uma brincadeira lúdica e sensual.

.

Pipoca trufada Dilucious

Pipoca trufada Dilucious receita aqui

.

O maior charme fica por conta dos tufos de Algodão-doce aromatizados, da Pipoca com Trufas, dos salt Lollipops, das defumações, dos Bombons de Foie Gras, dos sorvetes inusitados, dos incríveis drinks jelly shots, das sopinhas surpreendentes, das pre-desserts inesperadas…

.

Preparando as louças

As louças que serão usadas

.

Querem saber? Não importa louça, mesa, toalha… Além de um momento de diversão, receber para mim, é sempre um momento de  comemoração em torno da comida. Sinto que as pessoas se esquecem dos  problemas e compartilham da festa que é a mesa.

.

look guardanapo.

Observo que, daqui de casa elas saem revigoradas e com a alma renovada. Para mim, o que importa é que a refeição marque um instante de felicidade e de satisfação, seja com refinamento, seja com simplicidade. Tudo acompanha a alegria reinante do ambiente, e tudo faz moldura afinada com os que se deleitam em minha mesa… Rsrrssss…

.

É UMA IMAGEM COMO ESSA QUE ME FAZ TÃO REALIZADA, POIS TRANSFORMA O RECEBER EM ARTE!

É UMA IMAGEM COMO ESSA QUE ME FAZ TÃO REALIZADA… TRANSFORMA O RECEBER EM ARTE!

.

aaaa

 

Se quiser receber um email avisando quando publicamos um novo post, por favor deixe seu email aqui. Obrigada, Dilu

 

BBB

Você poderá gostar de:

43 comentários em “Entrevista – A ARTE DE RECEBER

    • Rose minha linda, que saudade! Desde a Bahia que não encontramos e hoje no almoço Louise estava me dizendo que encontrou vocês. Obrigada querida, bjss

    • Patricia, todas as vezes que estou escrevendo lembro de você me dizendo para tomar cuidado com palavras desnecessárias. E por falar nisso, você se esqueceu que iria ajudar? Brincadeirinha prima! Obrigada por já ter me ajudado tanto!

    • Valdomiro, e você é o distante! Que isso? Mudou para SP e nos abandonou? Rsrsrsss Querido, muitas saudades!!!!!!!!!!! Obrigada, viu?

  1. Gostei bastante da sua entrevista! Eu fico surpresa de como você consegue administrar todo o trabalho de fazer a comida e receber as pessoas. Acho lindo isso que você faz! Demonstra que ama viver a vida! Queria ser como você!

    No Natal eu fiz toda a ceia sozinha, infelizmente as “ajudantes” não me ajudaram em nada, faziam as coisas na velocidade de tartaruga e o tempo ia passando, mesmo eu alertando elas e dando ordens para fazer isso e aquilo… Só para ter idéia, eu queria fazer purê de batata baroa com alho poró e mandei elas passarem a batata na peneira, aí elas diziam com a maior preguiça do mundo: “Pode passar no processador?”, mas aí iria ficar ruim e grudento. Claro que não deixei! Tive de correr com tudo sozinha para ficar pronto a tempo para a ceia. Fiquei exausta e não consegui aproveitar tanto a festa como gostaria. Os convidados adoraram tudo que eu fiz, mas gostaria que tivesse tido mais ajuda e mais tempo para curtir. Como você disse na entrevista, não pode ter stress!

    Eu amo receber as pessoas e vê-las comendo! De vez em quando convido uma amiga e faço um prato só para ela! Sempre pergunto sobre os hábitos alimentares das pessoas, se têm alguma restrição alimentar, porque gosto de agradá-los o máximo que puder.

    Em eventos maiores, contrato as minhas professoras de culinária que são duas, e fazem cada comida maravilhosa. Eu fico sentada curtindo os sabores e conversando com os convidados. Quando as chamo para cozinhar na minha casa, eu curto muito decorar o ambiente, arrumar a mesa, talheres, flores, pratos e imprimir os cardápios. Aprendi a amar esta arte de arrumar as mesas com a minha mãe que sempre valorizou muito isso. Ela me ensinou a tratar as pessoas como reis e rainhas. Também venho de família italiana (também sou cidadã italiana) e estou acostumada com banquetes na família! Tem que ter fartura, mesa longa cheia de gente e muita festa!

    Eu adoro as expressões italianas como “Dolce Vita” e “Mangia che ti fa bene” por traduzirem os prazeres da vida! Eu admiro o fato de como os italianos sabem comer muito bem e serem felizes. Eu tento praticar o mesmo que eles na minha vida!

    • MARIAAAAAAAAA que delícia seu “post”! Vamos aproveitá-lo? Vamos fotografar alguma festinha ou almoço que você preparar e aproveitamos esse relato para colocar as fotos. Adorei e arrepiei, pois vejo em você uma anfitriã de primeira!

      Olha só, você disse lá no início que gostaria de fazer como eu, mas você ainda não se percebeu fazendo exatamente igual. Você está no caminho certíssimo minha querida. Você relatou o funcionamento real dos bastidores, acontece igual comigo, ou com qualquer cozinheiro, a única diferença é que tenho um pouco mais de experiência que você (infelizmente, só por causa da idade rsrrssss). Qualquer dia que você quiser receber seus convidados, ofereço ajuda, de coração, pois faço questão de te ver crescer nesse mundo maravilhoso da gastronomia e do bem receber.

      Beijo muito grande e muito carinhoso nessa grande cozinheira.

      • Dilu! Quando eu falei que queria ser como você, estava me referindo à habilidade de conseguir cozinhar para muita gente e ainda conseguir curtir o evento! Ainda chego lá! Sei que a experiência faz muita diferença, ainda sou novinha!

        O problema de fotografar os pratos das festinhas que dou aqui, é que só lembro depois de comer! Pelo menos estou fotografando as mesas a pedido da minha mãe que quer guardar de lembranças. Algum dia desses te mostro as fotos!

        Espero que um dia brinquemos com a comida juntas! Um beijão!!

        • Maria querida, entendi e continuo dizendo que você está no caminho certo. Vc “vai chegar lá” com soberania! Tenho certeza!
          Quanto as fotos, hummm… isso acontece com quem é guloso. Vivo fazendo isso rsrrssss

  2. Oi amiga como vai? fico muito feliz pelo destaque que você esta tendo a cada dia! O Dom da culinária é para pucos, e você tem de sobra. Estou adorando entrar no seu blog sempre super chique e com bastante novidades!!!! Parabéns !!!

    Beijos André Diniz!!!!

  3. Parabéns Dilu, sua entrevista está ótima, retratando com fidelidade aquilo que vc é. A alegria, a elegância,a espontaneidade, a magia e o prazer são as características marcantes que te envolvem. Bjus.

  4. Dilu, quero te dar parabens pela iniciativa do Blog, estou adorando ler tudo o que vc posta , pois assim temos acesso a tudo de maravilhoso e mágico que vc faz! Bjo enorme!
    Licia.

    • Licia, muito obrigada por esse elogio tão bacana. Sua opinião, além de ser importante para o blog, faz também com que eu me sinta muito feliz… Bjão

  5. Dilu, dando minha passadinha, antes de sair pra mais um dia de trabalho. Em comum temos o prazer de cozinhar e compartilhar o resultado. Vc com uma bagagem e uma dedicação à arte infinitamente maior e com um estilo de fazer isto completamente seu. Às vezes fico pensando sobre o quê de todo este universo me diz respeito e me traz aqui sempre que posso. Duas respostas me veem de imediato.Uma em tom de brincadeira e outra seríssima. A jocosa é que penso na minha platéia, que já me acha chic e fico imaginando a carinha deles o dia em que comerem ou virem algum pequeno detalhe, dos muitos que já aprendi por aqui, incorporado à minha prática! kikiki. Irão à loucura! (rindo aqui sozinha). Já diz o ditado: em terra de cego…..(quando usar uma dica sua me lembrarei de vc e onde estiver te mando um piscadinha. Aliás, em breve usarei: adorei o que vi aqui em algum lugar…. saquinhos de chita com organdi em cima. Já estão sendo feitos pra um encontro que faremos em breve.)
    A outra reflexão, esta séria. Uma pessoa só encanta e convence quando nela se sente que algo é de verdade. E é bom fazer trocas. Gosto de espiar. O que quero dizer é que, de todo este universo que nos expõe, mais que um ou outro detalhe que me é possível concretizar, vou percebendo que o que seria pretensioso em mim, e logo artificial, em você passa algo que é genuíno e que compartilha com seus amigos. Por isto percebemos o quão querida por todos. e não é que me lembrei agora do poeta?
    “Para ser grande, sê inteiro
    Nada teu exagera ou exclui
    Põe quanto és em tudo que fazes,
    Assim, a lua inteira brilha em cada poça
    Porque alta vive.”
    Dia bom por aí, vamos nos vendo.

    • Vera, além da cozinha, já vi que temos também em comum, o gosto de escrever… Gosto muito, muito e muito de ler o que você posta. Quando não tem nada, sinto falta, pois tudo me parece aquele livro que não li, lembra? E aí observo que nesse quesito é sua a bagagem infinitamente maior e claro, com um estilo também completamente seu. Ainda bem que é assim. Exatamente como vc escreveu: são trocas. Cada vez que te leio, me vem arrepios… mais uma nova frase, outro arrepio, e no ultimo paragrafo de seu comentário de hoje… Nossa… Não teve jeito, fiquei muito emocionada.

      Quanto a sua “plateia” ah… como eu gostaria de ver essas “carinhas”… Ah… (aí o arrepio de novo), como gostaria de sentir a transmissão dessa “piscadinha”, que lindo isso Vera! Ah… Como você me faz feliz e realizada.

      Olha só… caindo das estrelas – pois foi pra onde vc me conduziu com suas palavras – e passando para a parte prática, você viu o arranjo lindo com chitão no post Ju Nunes. Aquelas xicrinhas com brigadeiro custaram alguma coisa em torno de 0.70 na TAMBASA. Se você quiser, posso tentar comprar para você, pois o difícil é ir lá no Ceasa para pegar.

      Bjs querida e um ótimo dia de trabalho para vc.

  6. Fadinha,
    100% você! Genuína,generosa,calorosa,apaixonada pelo que faz!
    Boa discípula de Spinoza,você bem sabe que “encontrar é também afetar e ser afetado”.
    Parabéns pela entrevista,onde adrei aparecer de “figurante”!rsrsrs
    Um beijo,
    Maria Eugênia

    • Ah… Maria Eugênia amore, amore! Vou te contar uma coisa. Sabe que as vezes você me deixa sem resposta, sem palavras e sem ação? Através de suas palavras, fico assim… tipo em estado de graça…

  7. Querida Dilu,
    Adorei revê-la ! Seu Blog está bárbaro ! “Viajo” nas receitas, dicas e novidades ! Continue sempre nos “abastecendo” com seu bom gosto !
    Parabéns !
    Beijos,
    Titina Recoder

    • Ah Titina, que bom ler seu comentário. Muito gostoso esse retorno, ainda mais vindo de uma pessoa tão querida como você.
      Super obrigada e um beijo bem carinhoso!

  8. Dilu, estou cada dia mais encantada e apaixonada por tudo que você faz, como escreve e descreve tão bem! Genial!!!!
    Parabéns
    Da sua fã
    Marise

  9. Divino!!! Parabens!!! Organizacao eh a palavra-chave quando se trata de receber bem os convidados para uma reuniao ou um jantar. Percebi que sua organizacao eh fantasticamente bem planejada. Adoro esse tipo de “get together”. Como Food Stylist formado e treinado por Martha Stewart e Pamela Morgan em NY, posso dizer que o menu e os hors d’Oeuvres sao bem escolhidos e elaborados. Parabens uma vez mais. Pela materia acima, sim, foi um show.

    • Felix, super obrigada por sua visita ao Dilucious e mais ainda, por uma opinião tão bacana, pois vem de quem entende o quanto é fundamental a organização. Espero te ver sempre por aqui, são comentários como o seu (espero que venham críticas também) que farão com que o blog se posicione e mostre a que veio. Um abraço agradecido.

  10. Ler seu blog é sempre especial! A leitura corre solta e as fotos são apetitosas! Como sobrinha de Anna Amélia e filha de Francisco Guilherme e Maria Orminda, não posso deixar de comentar a parte sobre etiqueta, muito bacana o que você escreveu. Com quinze anos era muito comum nossos pais levarem a gente para fazer curso de etiqueta e depois enfrentar o famoso Debut! Trágico, para as tímidas! rsrsrsrsrs O que queria falar é que minha secretária e amiga há 28 anos, começou comigo aos 13, come á francesa e suas irmãs também. A mãe delas, que trabalhava para a minha mãe, tinha mais tempo de casa do que eu mesma. rsrsrsrsrsrsrs É bem do jeito da Conceição, que acompanhou tia Anna Amélia a vida toda, uma perfeita lady!
    Acho que a etiqueta é fundamental e não uma frescura, afinal quando os amigos de nossos filhos vem almoçar em casa é assim que percebemos a qualidade da educação. Não estou dizendo que são pessoas mal educadas, mas a meninada está comendo de uma maneira horrorosa! Reparem nos restaurantes, a quantidade de gente que fala de boca cheia e usa os talheres como peões de obra. Não é frescura minha, nem soberba, acho apenas que comer com educação é até uma forma de higiene. Respeito mesmo ao parceiro da mesa.
    Aliás, já repararam nos filmes e novelas que as pessoas falam de boca cheia e colocam os pés nos sofás. Putz, isso me irrita tanto! A gente passa a vida falando: não coloca os pés no sofá, tira o cotovelo da mesa, não cruza os talheres, fecha as asas, mastiga sem fazer barulho, guardanapo no colo…e vem esses artistas para avacalhar com a peleja diária.
    Nossa, falei demais. Mas realmente queria destacar a parte da etiqueta, que vem fazendo muita falta nos dias de hoje.
    Beijo grande e muita admiração

    • Amiga já tão querida, me desculpe, só agora estou vendo essa mensagem, tão interessante! É verdade, a maioria come de uma maneira muito feia, mas fico pensando… e talvez… como a maioria das coisas que se refere a adolescência, aquele que tiver uma boa educação (essa coisa da repetição mesmo) vai ver chegar a hora de se comportar direitinho, tudo tem seu tempo.
      Obrigada por esse comentário tão bacana, bjssss

    • Sandra querida, super obrigada.
      Vc disse as duas palavras que devemos ter para tudo e em tudo na vida: amor e cuidado.
      Minha linda, estou muito feliz com sua visita. Bjsss

  11. Sininho , socorro !!!!! To com medo de recebe-la depois do que li . Sou super simples e a comida e tradicional , familiar , sem sofisticacao nenhuma … acho que vai ficar abaixo das suas expectativas …
    Sininho , SOCORRO !!!!! Bjsssssssssss

  12. Ah Gisele, só hoje estou vendo seu comentário!. Só que preciso te dizer: completamente sem fundamento. A comida que faço é meio que show! Comida que adoro, é essa que vc faz, é arroz com feijão, é frango com quiabo (minha preferida), enfim, fica até mie estranho eu dizer isso, mas é a verdade. Talvez, exatamente pelo fato de eu não fazer. Quero muito ser convidada pra comer o que vc faz. Bjss

Deixe uma resposta para Ana Paula lanari Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CyberChimps