#eu…aaaaamoL’EGGS!

IMG_3635Agora é assim: lactose faz mal, glúten é veneno, manteiga… humm… passe longe! Açúcar nem pensar, até o coitado do carboidrato entrou pra lista dos vilões, sendo que este último, é um rejeitado que “destila seu veneno” em quase todos os alimentos. Detox então é a palavra que entre 10, aparece 11 vezes… Enfim, a neurose anda solta por aí afora.

Tenho uma amiga que entrou nessa paranóia e, no meio dela, fomos pra Bahia. Turma grande, alegre, festeira e todos, comilões (glutões) confessos. Nosso primeiro café da manhã: 12 pessoas felizes comendo juntas – mesa enorme, redonda, farta, linda, colorida, assim como deve ser uma mesa mineira/baiana. Ok, minha amiga se assenta, olha o “paraíso”  como se tudo aquilo fosse parte do inferno, coloca o cotovelo sobre a mesa, apoiando um rostinho infeliz e um sorriso amarelo, pensa… pensa… enquanto atacamos e gememos em cada nova investida.

Da mesa, minha amiga desvia seu olhar pra um de nós: cara de satisfação, com uma banana sendo colocada pra assar na manteiga e canela. Em câmera lenta, ela passa a observar o outro com o leite condensado escorrendo pra fora da tapioca… A outra, com uma bela fatia de bolo de chocolate… E o dono da casa? Esse sim é poderoso, come cachorro quente todos o dias… Pois é, só que no café da manhã… kkkkkkk…. To rindo de nervoso e, sim, de… INVEJA! kkkkkkk… Olho para minha amiga e a vejo pousando seus olhos em minha boca que, ainda cheia e mal educada, exclama: Afff… esse naco de queijo derretendo na chapa… tudo de bom! Ela, de infeliz, cai no desespero, flerta com o pão, com o queijo… afff! O leite condensado! E solta o mais desabafado dos desabafos: EU AMO GLÚTEN, EU AMO LACTOSE!

.

#eu…aaaaaamoL’EGGS

Por Dilu Bartolomeo Villela

.

IMG_3636IMG_3638

.

Me lembrando desse dia na casa de minha amiga e entrando no restaurante L’EGGS em Barcelona…

.

Você sai do passeio da e entra numa fazenda

Você sai do Passeig de Gràcia e entra numa fazenda

IMG_3572IMG_3579IMG_3633IMG_3631IMG_3581IMG_3571IMG_3582IMG_3584IMG_3583IMG_3576

.

Sim! Com ovos, muitos ovos!

.

IMG_3578IMG_0652

.

Ainda bem que eles cederam o papel de “vilão da hora” pros amigos citados na história da introdução deste texto, porque eu… #eu…aaaaaamoL’EGGS.

.

IMG_3585IMG_3569

.

Por causa da onda do “ovo tem colesterol em abundância”,  quantas pessoas não conhecem o prazer da abundância?

.

Ovos

Ovos? Não! Só a gema com creme de champignons

.

Nem vou falar dos ovos cozidos à perfeição, pois não tem nada melhor que o ovo à moda antiga.

.

IMG_3593

.

Só que, para entrar na onda do “eu sei fritar um ovo“, é preciso saber antes, que essa não é uma tarefa para simples mortais, exige competência.

.

IMG_3590

.

E a máxima: Fácil como fritar ovos! Como assim? Alguns se acham – acham que sabem preparar um bom ovo estrelado, mas quantos ovos são necessários para fazer do cozinheiro um chef de cuisine estrelado? Não à toa os ovos viraram estrelas nos restaurantes e nas redes sociais.

.

IMG_3635

.

Aspirante a chef, para entrar numa cozinha e sair dela com o nariz empinado, como aqueles chefs dos filmes, deve aprender o preparo correto do ovo, aquele que fica bem na foto.

.

IMG_3618IMG_3621IMG_3610

Isso ERA um Steak fartar no tutano feito na brasa

Isso ERA um Steak tartar servido no tutano feito na brasa. Melhor coisa que já experimentei na vida!

.

Ou que você tenha vontade de tirar foto do passo a passo da degustação, e ainda, não satisfeita, se dê ao desfrute de filmar, tamanho encantamento!

.
IMG_0644

.

Ah… nada como ter um belo ovo, gema amarelinha e molinha frita na manteiga, sobre um arroz branquinho com salsinha e tomate picadinho com azeite… ou um belo beef a cavalo! Algumas pessoas não conhecem o sabor de um ovo que vem submisso às trufas – elas não sabem o que estão perdendo!

.

Ovo com Foie gras é outra combinação perfeita

Ovo com Foie gras é outra combinação perfeita

.

Mas, não sabe mesmo o que está perdendo é quem vai a Barcelona e não conhece o L’EGGS. Gente, é um restaurante im-per-dí-vel!

.

Até estraga o post, mas Luiz, dentre tantas opções maravilhosas e diferentes, comeu coisas normais

Até estraga o post, mas Luiz, dentre tantas opções maravilhosas e diferentes, comeu coisas normais

IMG_3626

.

Principalmente para os amantes do melhor alimento do mundo: os ovos, que no L’EGGS recebem tratamento V.I.P. e são transformados em verdadeiras obras de arte.

.

IMG_0649

.

Bem, depois de ler esse post, se não puder criar asas e CÓ CÓ RI CÓ CÓÓÓ… opss… e voar até o L’EGGS, acho que o jeito é você ficar na #eu…aaaaaamoL’EGGS!!! Quem sabe preparando uns ovos deliciosos e… CÓ CÓ RI CÓ CÓÓÓ… pras neuras que, de repente, surgiram por aí! Porque eu, amo glúten, lactose, chocolate, açúcar e tudo que me faz feliz!

.

L'EGGS Passeig de Gràcia, 116 . Barcelona . Espanha

L’EGGS
Passeig de Gràcia, 116 . Barcelona . Espanha

.

Aqui coloco os links de algumas receitas com ovos – todas do Dilucious!

CANUDO DE OVOS E CAVIAR

Minha canja de galinha

ISSO NÃO É MACARRÃO!

BATATA COM GEMA DE OVO E CAVIAR

Ovos com Salmão defumado em cocotte

BALLOTINES DE SALMÃO COM OVO MOLLET E CAVIAR

CALDO DE FEIJÃO COM OVO DE CODORNA TRUFADO

OVO ÀRPÉGE

OVO ESPUMOSO

OMELETE Dilucious COM TRUFA

PIZZETE com GEMA MOLE EM NUVEM e TRUFA

CANJIQUINHA COM PERNIL E LEGUMES AO PERFUME DE CACHAÇA

Bolo KINDER

aaaa

Se quiser receber um email avisando quando publicamos um novo post, por favor deixe seu email aqui. Obrigada, Dilu

BBB

Você poderá gostar de:

14 comentários em “#eu…aaaaamoL’EGGS!

  1. Quando eu estava em Barcelona, queria ir a este restaurante após a sua sugestão, pena que a minha família detesta ovo de qualquer jeito! Eu é que tô agora começando a aprender a comer ovos porque em casa ninguém preparava nada com ovos aí com isso eu pensava que destestava também…

    Quanto ao tema do início do seu texto, recomendo que leia esta entrevista sobre o Terrorismo Nutricional: http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2014/05/entretenimento/cultura_e_famosos/1486010-vivemos-hoje-um-terrorismo-nutricional-as-pessoas-nao-sabem-mais-o-que-comer–diz-sophie-deram.html

    Eu sigo a filosofia desta nutricionista: comer de tudo com prazer e equilíbrio!!!

    • Maria, obrigada por trazer de forma mais madura o que eu trouxe como brincadeira. Adorei! Achei tão interessante a reportagem que vc me sugeriu ler que achei por bem, copiar e colar aqui para que outras pessoas também tenham a oportunidade de ler e quem sabe, poder usufruir da melhor forma. A partir de agora, eu-não-que-ro-mais-a-do-çan-te. Messssssmo. Já vinha me policiando, já tinha ouvido dizer que adoçante engorda (vê, na França é difícil achar), enfim, adorei a ideia de colocar SEMPRE, tirar, JAMAIS! Leia pessoal, muito boa a matéria:

      “Vivemos hoje um terrorismo nutricional. As pessoas não sabem mais o que comer”, diz Sophie Deram
      Autor: Renata Lacerda | rlacerda@redegazeta.com.br

      Emagrecer sem dieta, sem cortar grupos alimentares e “celebrando a comida sem medo e sem culpa”. Parece sonho, mas é o que defende a nutricionista. Para Sophie Deram, dietas só engordam a longo prazo

      Sophie é francesa e brasileira e pesquisa obesidade infantil, nutrigenômica, transtornos alimentares e neurociência do comportamento.
      Sophie Deram não é uma nutricionista convencional. Para começar, ela é contra dietas. Para essa francesa e brasileira, doutora em Endocrinologia pela Faculdade de Medicina da USP, dietas restritivas só estressam o corpo e fazem o cérebro alterar o metabolismo e o apetite, fazendo você engordar ainda mais a longo prazo. Especialista em obesidade infantil e transtornos alimentares, Sophie, que também é chefe de cozinha, estuda neurociência e nutrigenômica – a ciência que mostra como os alimentos “conversam” com nossos genes. Ela defende uma forma libertadora de lidar com a comida: o “comer consciente”, que permite ter saúde e peso estável tendo prazer à mesa e comendo de tudo – até mesmo doces e fast food!

      A senhora é uma nutricionista contra dietas?
      Eu sou muito contra dieta (risos). E quanto mais eu estudo, mais fico contra. Uma das coisas que mais assusta e estressa o cérebro é fazer uma dieta muito restritiva. O cérebro a percebe como um grande perigo e vai desenvolver mecanismos de adaptação. Ele vai aumentar o seu apetite, diminuir seu metabolismo e deixar você mais obcecado por alimento.

      É por isso que tantos voltam a engordar?
      A curto prazo, a dieta vai funcionar. Só que o cérebro vai desenvolver mecanismos de adaptação, vai ‘ligar’ os genes do apetite e do armazenamento de gordura. A ciência mostra que 90% a 95% das pessoas que fazem uma dieta muito restritiva voltam a engordar, não só tudo de novo, mas ainda mais. Pelo menos 30% de quem faz dieta engorda mais do que perdeu com ela. O interessante é que, depois de uma dieta, o apetite de uma pessoa aumenta por até um ano após ela ter voltado a comer normalmente. E o risco de desenvolver compulsão é até 18 vezes maior depois de uma dieta restritiva. Os maiores transtornos alimentares (como bulimia e anorexia) que a gente trata começaram com uma dieta.

      Então, qual a solução?
      Primeiro, não enxergar o peso como a causa do problema, para não trabalhar só sobre a consequência. É preciso entender porque você engordou. Pode ser emocional, por fazer dieta, por comer de maneira não muito saudável, pode ser um medicamento que você está tomando ou uma fase de vida – a menopausa e pré-menopausa, por exemplo, são momentos muito sensíveis para a mulher.

      O que é o “terrorismo nutricional” que a senhora afirma que vivemos?
      Hoje estamos focando no alimento de um jeito muito simplificado: ou o alimento é bom ou é ruim. Esse engorda e aquele emagrece. Não existe isso. Nenhum alimento por si só vai fazer engordar ou emagrecer. Quando você só foca nas calorias e nos alimentos, você esquece de escutar o seu corpo. Você não responde mais à fome ou à saciedade. Você só responde com terrorismo ao que você está comendo. Comer vira uma coisa estressante. E uma culpa.

      Dá para acabar com essa culpa?
      Uma das coisas que eu trabalho muito no consultório é recuperar a sensação de fome e saciedade e o comer sem culpa. Nosso corpo é totalmente habituado a todo tipo de alimento. Claro que algumas pessoas têm problemas ou alergias, e isso tem que ser tratado. Mas colocar uma população inteira sem açúcar, sem glúten ou sem lactose é uma loucura! O terrorismo é esse: cada vez mais as pessoas não sabem o que comer. Acham que controlando o que elas estão comendo vão emagrecer. Na verdade, estão cada vez mais estressadas e com maior risco de ganho de peso.

      Mas há dietas restritivas famosas que cortam glúten ou proteína e dão certo. Também não são recomendadas?
      Para uma pessoa que tem doença celíaca, eu vou recomendar uma dieta sem glúten. Mas para uma pessoa que está bem, só porque ela quer perder peso, isso afeta muito a sua relação com os alimentos. Vira um inferno. Tirar o glúten é uma coisa muito difícil, muito estressante. Claro que a pessoa vai perder peso, e é por isso que está na moda. Só que, infelizmente, isso só aumenta aquele terrorismo nutricional. Em geral, cortar um grupo alimentar não é adequado. Somos onívoros, ou seja, animais que comem de tudo. Quando você corta um grupo alimentar, você assusta o seu corpo. Ele vai desenvolver adaptações que podem fazer você engodar mais a longo prazo.

      Por que é tão importante acabar com essa culpa ao comer?
      Quando você está com muita culpa, sofrendo muito terrorismo nutricional, você pode engordar, porque está estressado, em desequilíbrio diante da alimentação. Isso pode afetar o cérebro e “ligar” genes que vão fazer você engordar mais. Mas é bom lembrar que tem obesos que comem superbem. É bom não fazer discriminação. Pode ser um estresse na vida que aciona um mecanismo de proteção. A gordura era uma proteção contra a falta de alimentos e o nosso cérebro ainda pensa assim. Se você estressa muito o seu corpo, se fica sem comer, se corta carboidrato, ele reage aumentando a produção de gordura. Quando você está comendo com prazer, sem culpa, você come menos porque vai ficar satisfeito e não engole a comida. E também vai ter uma digestão diferente do que se comer com rapidez, com culpa, com estresse.

      A senhora é contra os produtos light e diet?
      Não sou contra. O que eu acho importante é mostrar que eles não são necessariamente interessantes para emagrecer. Para fazer produtos light e diet, a indústria fez uma troca. Tiraram parte da gordura, o que deixa ele sem gosto, e colocaram carboidratos. Açúcar, amido modificado, xarope de açúcar, todos esses carboidratos, dão bastante prazer no cérebro. A gordura tem 9 calorias por grama, mas o açúcar só 4. Então, o produto fica com menos calorias, mas não necessariamente mais interessante do ponto de vista da saciedade. E também pode ter um efeito diferente no metabolismo.

      Então seria melhor comer algo que você goste em porções menores?
      Na dúvida, o é melhor pegar o alimento mais ‘in natura’ possível. Não estou dizendo orgânico, estou dizendo mais natural. Em vez de comer o iogurte light ou diet de morando, por exemplo, a opção que eu acho mais saudável seria o iogurte natural junto com o morango e um pouquinho de açúcar. É um alimento mais verdadeiro.

      Mas como, então, emagrecer?
      Primeiro, é preciso ter excesso de peso e nem todo mundo tem. Pessoas que estão com peso saudável e que querem emagrecer mais vão assustar o corpo. Essa preocupação de emagrecer é muito exagerada hoje. As pessoas estão muito focadas nisso. É “bom dia, você emagreceu” ou “você engordou”. Antes se falava do tempo! Uma pena. Mas uma pessoa que tem sobrepeso precisa saber que não há uma solução só. As dietas hoje dão a mesma solução para todo mundo. Isso não dá certo. Cada um tem um metabolismo, uma história, uma razão diferente para o sobrepeso. Mas uma dica interessante é essa: comer mais alimentos verdadeiros.

      Ou seja, menos industrializado.
      Isso, menos industrializados. E não estou dizendo que sou contra alimentos industrializados. Sou engenheira agrônoma, trabalhei em indústria, e acho que eles ajudam muito no dia a dia. Mas, quando puder, cozinhe, prepare o prato em casa, coma alimentos que vêm da natureza e tente evitar essa preocupação de dieta. Isso está fazendo com que ninguém coma junto. Sei de pessoas que levam marmita para eventos sociais. A gente está cada vez mais com esse terrorismo da nutrição. Se você volta a comer alimentos verdadeiros, para os quais a gente foi adaptado, você não deveria ter essa preocupação de calorias, de engordar. O que você deveria ter é uma consciência maior de como está se sentindo. Estou com fome? Vou comer. Estou sem fome? Vou parar de comer! Alguém que está respondendo bem a essas perguntas chega a um peso saudável. É o que em inglês se chama “mindful eating”, o comer consciente. É um bom jeito de emagrecer de maneira suave e para a vida inteira.

      O comportamento alimentar é tão importante quanto o que se come?
      O “mindful eating” é totalmente isso. Pesquisas com crianças mostram que se você cuidar mais do ambiente, sem falar do que ela está comendo, ela vai ter menos risco de engordar. Não é só o que você come. É também como você está comendo. Ter um comportamento adequado à fome é comer de maneira consciente. E se, ainda, você consegue comer com prazer e sem culpa, você será supersaudável. E comer com prazer não é comer com gula. É diferente. Não é liberar tudo. É comer devagar, o alimento que você gosta, saboreando e sem estresse.

      Comer fora é mais difícil…
      Na rua, a tentação é grande. Então também temos que comer devagar para perceber quando estamos satisfeitos. E quando isso acontecer antes do fim do prato, não precisa comer a porção inteira. Escute o corpo. Não é só porque está pagando um preço fixo, numa churrascaria, que você tem que se entupir de comida. Aproveite o momento com os amigos, converse, sinta o alimento. Não existe nenhum alimento ruim. O que existe são alimentos mais interessantes do que outros.

      Hoje, muita gente se diz viciada em doces e fast food. Como elas podem comer de forma mais saudável?
      Primeiro, se conscientizar de que esse vício é real. Esses alimentos focam no nosso cérebro e podem viciar mesmo. Mas é possível mudar. Não fazendo dieta restritiva. O que eu aconselho é incluir, cada vez mais, alimentos verdadeiros. Eu nunca retiro alimentos de ninguém porque isso é muito frustrante. O que trabalho é uma atitude positiva. Pode comer de tudo, mas inclua mais legumes, mais arroz, mais feijão. Tome mais água, evite o excesso de bebidas doces, tanto refrigerantes quanto sucos. E aí a pessoa, sozinha, consegue se livrar desse vício. Tenho pacientes adolescentes que saíram da obesidade sem deixar de ir ao Mc Donald’s com os amigos. Isso faz parte da vida do adolescente. É um erro tirar isso dele. Mas quando você inclui os alimentos verdadeiros, automaticamente, você vai comer menos dos outros.

  2. Cocoricocó! !! Amo eggs! Não consigo viver sem eles em casa, não consigo imaginar bolo sem ovo, rosas, tortas, ppavés, omelete, farofa etc. Esse post diz tudo tudo que penso sobre a a famigerada neura alimentar das pessoas de um modo geral! Não como isso, não como aquilo, estou de dieta! !!??? Ah tá! Mandando ver nnas bebidas alcoólicas, nos doces e em pratadas fenonmenais! Affe!!! Come logo tudo que gosta e vão parar de fazer gênero! !! Comer faz bem! Nutre a felicidade! Só não exagerar! Eu sou educadissima! Kkkkk Bjos Dilu! Muito bom!

    • Maria Helena, vc já deve ter percebido que aqui em casa sempre tem três coisas: suco, sopa e ovo. Não tem coré-coré! Uma vez que se sentou à minha mesa, vai ter sempre essas três maravilhas… Bjs amor!

    • Rsrrsss… ainda mais em qualquer mesa que a gente se assentar amiga! Viemos nesse mundo pra ser feliz! Ainda mais quando o assunto é COMER!

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CyberChimps