Oui, JAMBON PERSILLÉ ou TERRINE? Tanto faz!

Me coloco à disposição aos apaixonados por vinhos e gastronomia, sejam eles profissionais, curiosos, turistas, enfim, aos que cogitam realizar o sonho de conhecer a rota enogastronômica da Borgonha, maravilhosa região inserida bem no meio desta arrebatadora França.

Me coloco à disposição aos apaixonados por vinhos e gastronomia, sejam eles profissionais, curiosos, turistas, enfim, aos que cogitam realizar o sonho de conhecer a rota enogastronômica da Borgonha, maravilhosa região inserida bem no meio desta arrebatadora França.

Oui, JAMBON PERSILLÉ

ou

TERRINE? Tanto faz!

Por Aline Mendonça

Como estamos na semana Santa, vou falar um pouquinho do Jambon Persillé, preparo criado por monges do Século XII para celebrar o final da quaresma. Hoje, a Borgonha conhece seu esplendor pela produção dos crus mais caros e respeitados do mundo, mas na época, tal qual produzir vinho, trabalhar na terra não tinha nenhum mérito. Esse presunto, em forma de terrine, era feito à base dos restos da carne de porco com a intenção de conservar a sobra que já estava cozida. Para a conservação, os monges utilizavam vinho branco e vinagre. Hoje em dia, deixou de ser uma receita típica da Páscoa e, principalmente, um preparo popular. Ganhou requinte nas mesas de restaurantes estrelados da Borgonha, onde a tradição pede que sejam servidos com um vinho branco, no caso, um bom Aligoté. Hummm… Sobre o Aligoté deixo para falar no próximo post. Aline

Santé e uma Feliz Páscoa!!! Aline

.

Terrine

.

TERRINE DE CARNE DE PORCO

As terrines não são feitas só com carne de porco, como dita a receita original. Com o passar do tempo, foram ganhando outras versões, como a de fígados (haja visto a famosa terrine de foie gras), queijos, legumes, coelho, galinha, e ainda, entraram mar adentro com maravilhas a base de polvo, peixes, lagosta, camarão, caranguejo, etc. O bacana da terrine é que cada “mestre cuca” pode criar sua própria receita. Ou seja, quase qualquer coisa comestível pode se transformar em maravilhosas terrines.

.

Terrine 1

  • Não existe quantidade disso ou daquilo, podemos usar tantos ingredientes quanto quisermos, mas atenção, o essencial é que estejam todos bem fresquinhos.
  • Como hoje começamos falando da terrine de carne de porco, use a sobra de pernil desfiado ou picado.
  • Tempere um pouquinho mais a carne com sal, pimenta do reino e acrescente pitadas de especiarias como noz moscada, cominho, cravo em pó (uma pitadinha), canela (uma pitadinha também), curry, gengibre; ervas frescas como tomilho, cebolinha e principalmente a salsinha, conhaque ou vinho branco. Mas lembre-se, nada impede de você colocar azeitonas, alcaparras, pistache, passas ou damasco, raspas de limão e muitos etceteras. Tirando as especiarias, que devem ser usadas com parcimônia, ou seja, em pequenas pitadas, é bom caprichar nos temperos.
  • Junte algum tipo de gordura (que pode ser manteiga ou a própria banha de porco cozida).
  • Para montar a terrine use uma forma de bolo inglês forrada com papel filme. Coloque nela a massa de carne, tampe com o papel filme e cubra com um peso para prensar a massa de carne. Deixe de repouso por dois ou três dias na geladeira para firmar e apurar o gosto.
  • Sirva como couvert, entrada, salada, acompanhamento ou até mesmo como prato principal, mas sempre acompanhada por um bom pão, de preferência, de campanha, para combinar com o jeito rústico da termine.
  • O único problema de aprender a fazer terrines é que nunca mais você ficará sem uma dessas belezuras na sua geladeira. Bateu a fome? Com certeza você se lembrará da sua terrine, prontinha lá te esperando…

.

BAIXAR RECEITA

.

Páscoa dilucious

Se quiser receber um e-mail avisando quando publicamos novo post, por favor, deixe seu email aqui. Obrigada, Aline

BBB

Você poderá gostar de:

7 comentários em “Oui, JAMBON PERSILLÉ ou TERRINE? Tanto faz!

    • Antonio, eu fiquei tão curiosa que fiz a minha, eu não assei, fiz com a carne já pronta. Ficou espetacular. Vou dar a receita certinha, ok?

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CyberChimps