Borgonha e os encantos da mesa

aline no vinhedo

Olá pessoal do Brasil, andei meio sumida, mas aqui da Borgonha, sempre me lembrando com muito carinho de vocês. Ah, quando falamos Borgonha, certamente pensamos em vinho, seja ele branco ou tinto – primeira e boa coisa que vem sempre na nossa cabeça, concorda?

.

Borgonha

e os encantos da mesa

Por Aline Mendonça

.

queijo collageMas a Borgonha é tão encantada que, além dos vinhos, temos coisas extraordinárias para harmonizar com a maravilhosa bebida de Dionísio.

Já havia falado para vocês do jambon persillé veja aqui, agora falarei de outras delícias da região. A primeira delas é uma bela criação dos anos 30, o Fromage de Cîteaux.

Um queijo à base de leite de vaca, mas não pense em qualquer vaca. Esta é uma raça específica chamada Montbéliard.

Os monges da ordem Cistercienne (ordem monástica católica) começaram a fabricar o queijo em prol da comunidade, seguindo o lema de São Bento: “rezar e trabalhar”, palavras que ainda estão impressas na embalagem deste queijo maravilhoso, que é o único ainda feito pelos monges enclausurados.

EpoisseAinda falando de queijo, aqui na região da Borgonha, em quase todo final de jantar temos os Epoisses, uma outra versão de queijo dos monges cistercienses.

A tradição da receita foi passada de mãe para filha, mas acabou que, com as duas guerras mundiais, os homens iam para os combates e as mulheres acabavam fazendo o trabalho deles, e a receita foi ficando de lado. Quase esquecida! Hoje, infelizmente, apenas duas fábricas na Borgonha produzem esse queijo Berthau e Guagry.

Mas o bom que a França é a terra dos mais de 1000 tipos de queijos. A Borgonha ainda tem o Délices de Pommard, criado por um produtor em Beaune e como o próprio nome diz: uma delícia! Extremamente cremoso, tripla camada de creme, envolto de bran de mostarda, simplesmente divino! E para completar, harmoniza maravilhosamente com o vinho de Pommard, taí a razão de seu nome.pain d'epices

Para adoçar tudo isso, a perfeição encontra-se no Pain d’épices, ou seja, pão de especiarias. Antigamente era usado como alimento para aqueles que estavam desnutridos, doentes, convalescentes e para as crianças raquíticas. Hoje, esse pão recheado com especiarias está presente na culinária da Borgonha, como um item da boa gastronomia.

E para ilustrar tudo isso ou melhor, degustar, o Office de Turismo de Beaune propõe um passeio, com paradas « gulosas », o que chamamos de Balade Gourmande.

No próximo post falarei do Cassis, o queridinho da Borgonha.

A très bientôt.

Vinho é com AlineAline

.

aaaa

Se quiser receber um email avisando quando publicamos um novo post, por favor deixe seu email aqui. Obrigada, Aline

BBB

Você poderá gostar de:

7 comentários em “Borgonha e os encantos da mesa

  1. Aline, o que tá difícil aqui é sair do Brasil pra conhecer essa cidade aí tão bonita. Então vai mandando bastante coisa boa dai pra gente. Beijão procê!

  2. Aline do céu! Isso é sacanagem. Que sonho este lugar tão maravilhoso com comida mais maravilhosa ainda e eu aqui sem poder planejar uma viagem pelo menos pra este ano. Rrss. Vou me programar pra conhecer…um dia eu vou e te procuro.

  3. Aline, estou me sentindo extremamente desnutrida depois de ler seu texto!!! Preciso urgente do pão de especiarias, do queijo e o vinho acompanha para o coração!

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CyberChimps