Paris, amigos e alegria…

O sol bate forte na janela. Experimento o prazer de sentir o inverno, abro a vidraça, olho lá fora e me vem uma vontade finiiiinha de chorar… Mais uma vez vejo a torre Eiffel que, nos últimos trinta e três dias, não cansei de dar bom dia, boa tarde, boa noite e até amanhã. Tantos momentos tivemos que a chamei de “minha linda”, “minha rainha”, “minha deusa”, e ela, sem o menor pudor, ria convencida. Ohhh, quantos risos eu vi! Hoje, converso com ela pela última vez: Ô minha diva, apesar da saudade dos meus amigos, não tenho vontade de voltar, é aqui o meu lugar, é aqui a terra que amo (eu e todo mundo, eu sei) e é aqui que quero ficar… repito: eu e todo mundo, eu sei… (risos e lágrimas 🙂 😥 ).

Não há lugar melhor que Paris, ainda mais quando temos a companhia de pessoas especiais.

.

Paris, amigos e alegria…

Dilu Bartolomeo Villela

.

veronica-poti-luiz-e-eu

.

Foram dias mágicos e deliciosos. Lugar comum, né? Devo completar esse “lugar comum” acrescentando: foram dias mágicos, deliciosos e diferentes de todas as vezes que estivemos aqui, já que o lugar que escolhemos para ficar foi um apartamento alugado. Ok! Mas tenho de acrescentar mais: nestes dias mágicos, deliciosos e diferentes pudemos receber em nosso “lar, doce lar” (alugado quer dizer que é nosso por um período, concorda?) pessoas queridas.

Foram 33 maravilhosos dias, e nos 12 primeiros, tivemos a companhia de um casal 1000. Os dois trouxeram na “bagagem” a alegria, a leveza, a falta de compromisso (neste caso, devo esclarecer aquilo que é oposto ao real significado da palavra, já que o que sentimos foi o descompromisso com o “tem de fazer isso, tem de fazer aquilo”).

Os dois casais, isto é, nós quatro, concordávamos em tudo! O combinado era que ninguém tinha de sair com ninguém, cada um poderia fazer o que bem quisesse e depois nos encontraríamos em algum lugar… Só que… O que fazer se os quatro queriam ficar com os quatro o tempo todo? Rsrsrss… Acabou que nossa estadia ficou comprometida sim, só que, essencialmente, em viver momentos inesquecíveis!

Assim, Verônica e Poti viraram cúmplices e nos ajudaram a nos libertar dos horários, dos restaurantes estrelados (convenhamos, quase sempre, muuuuuito chatos), da coisa de 1 museu por dia, espetáculo tal, show tal, enfim, dos passeios turísticos e de qualquer coisa que “tem de ser feita” em toda viagem. Nosso com-pro-me-ti-men-to foi com a sabedoria fina. Só queríamos saber do imprevisto, já que sabemos, o acaso sempre traz surpresas. Então… nossas obrigações giravam em torno das alegrias e pronto!

Que delícia para os quatro que conduziram e para os quatro que foram conduzidos – uns pelos outros – camaradamente. Sim, nos brindávamos com o companheirismo. Era um tal de cumadre e cumpadre pra lá e pra cá só compreensíveis àqueles que experimentam o segredo da afeição. E também, àqueles que se permitem voltar à infância, criando brincadeiras bobas e inocentes que nos faziam gargalhar (até sentir dor de barriga), por tudo e por nada. E por tudo e por nada, sempre nos pegávamos com as pernas entrelaçadas para segurar o xixi que, já que não podia escorrer pelas pernas, se transformava em lágrimas que escorriam pelos olhos: chorávamos de tanto rir.

Nosso compromisso foi também com o conhecimento! Verdade! O combinado era conhecer o que viesse pela frente. Conhecer um pouco mais de nós mesmos, conhecer a liberdade, e quando, a todo momento, o tal “acaso” nos levava a lugares deslumbrantes, sentíamos a mão de Deus nos conduzindo.

Poti, você se move e “movimenta” o mundo ao seu redor com facilidade! Na sua forma leve de ser e no efeito que ela produz, nos aventuramos a colocar a nossa leveza pra fora, portanto, foram poucos os 12 dias que tivemos a sorte de compartilhar. Verônica, encontramos a nossa alegria no seu bom humor e na sua alegria, e por isso, foi um prazer tê-los em nosso “lar, doce lar”. Que “o acaso” nos traga muitos outros dias como estes.

Bem gente, é sabido que a alegria é estimulante e nos faz realizar aquilo que nos satisfaz. Imaginem vocês… Paris, amigos e alegria… É assim que vejo a química da felicidade e é isso que faz deste, o meu lugar (e de todo mundo, eu sei), ainda mais se compartilhada com amigos como Verônica e Poti.

.

Este foi nosso endereço pelos 33 dias em Paris. Região deliciosa de ficar, pois a Rue Saint Domenique, além de ter tudo, está super bem localizada.

Este foi nosso endereço pelos 33 dias em Paris. 7.º arrondissement. Região deliciosa, pois a Rue Saint Dominique, além de ter tudo, está super bem localizada. Fazíamos quase tudo a pé e quando temos essa oportunidade, aí sim, conhecemos a cidade.

Chegamos, deixamos as malas no ap e como não

Chegamos, deixamos as malas no ap e já que não dava tempo de sair pra comprar algo e fazer um “boas-vindas” no “lar, doce lar”…

... saímos para comer alguma coisa ali pertinho. Entramos na Le Campanella, sem reserva (ai que delícia!!!). 18, avenue Bosquet, Paris 7th

… saímos para comer alguma coisa ali pertinho. Entramos na Le Campanella, sem reserva (ai que delícia!!!). End: 18, avenue Bosquet

É uma dessas brasseries que, do tipo, tem por todo lado em Paris e imagino, frequentado por locais. Só descobri desta vez, são ótimas e super baratas.

É uma dessas brasseries que, do tipo, tem por todo lado em Paris e imagino, frequentado por locais.

Só descobri desta vez, são ótimas, super baratas e são "Sevice continue", ou seja, não fecham às 13.30 como quase todos os restaurantes franceses, que matam a gente de raiva.

Só descobri desta vez, são ótimas, super baratas e são “Sevice continue”, ou seja, não fecham às 13.30 como quase todos os restaurantes franceses, que matam a gente de raiva.

Nós chegamos, deixamos as malas no ap e fomos comer alguma coisa, já que não dava tempo de sair pra comprar algo e fazer um "boas-vindas" no "lar, doce lar"... rsrrsss

Comemos de la bonne cuisine francaise: Queijos, todos nacionais… rsrsss… Terrine de campagna com o maravilhoso pão francês, Vieiras grelhadas com tomatinhos à provençal, Escargot e Grenouille, quero dizer: rã. Amo demais. A carne é leve, branca e muito saborosa.

Toda noite tinha o "Vamos tomar um conhaque?" e lá íamos nós sentar em qualquer lugar pra esquentar o esqueleto, já que a alma estava fervendo de felicidade.

Saímos do restaurante e nessa primeira noite, criamos um hábito: toda noite tinha o “Vamos tomar um conhaque?” e lá íamos nós sentar em qualquer lugar pra esquentar o esqueleto, já que a alma sempre fervia de felicidade.

Depois, saímos andando de madrugada, em total segurança e alegria... fora a vista que tínhamos o tempo todo - parecia que ela ficava lá, tomando conta da gente... kkkkkkk, Boi noite minha linda! Hora de dormir!

Depois, saímos andando pela madrugada, em total segurança e alegria… fora a vista que tínhamos o tempo todo – parecia que ela ficava lá, tomando conta da gente… kkkkkkk… Boa noite, minha linda! Hora de dormir!

Depois de dormir o sono dos justos e sem hora pra acordar, acordo e encontro a mesa do café já colocada... Ah, Veronica, vc não sabe a falta que você fez depois... km

Depois de dormir o sono dos justos e sem hora pra acordar, acordo e encontro a mesa do café já colocada… Ah, Verônica…

E eu, claro, preparei uma surpresa... Café da manhã em Paris não pode se resumir a croissant, camembert e na manteiga mais deliciosa do mundo...

E eu, claro, preparei uma surpresa… Café da manhã em Paris não pode se resumir a croissant, camembert e manteiga, mesmo que sejam os mais deliciosos do mundo…

Café da manhã nessa cidade dos deuses pede champagne

Em meio a muita risada, café da manhã nessa cidade dos deuses pede champagne.

Pede ovos, salmão e o melhor, pede gratidão. Pra demonstrar sentimento tão nobre, só brindando!

Pede ovos, salmão e o melhor, pede gratidão. Pra demonstrar sentimento tão nobre, só brindando! Daí pra frente, foram mais 11 brindes no café da manhã, todos do mesmo tipo. Êta saudade!

Depois deste café maravilhoso, fomos perambular pelas ruas de Paris. Mostro no próximo post. Bjsss!

Depois dos cafés maravilhosos, íamos perambular pelas ruas e curtir Paris, amigos e a alegria… Mostro no próximo post. Bjsss!

.

Veja o próximo post Paris…

Tão pouca distância pra tanta exuberância!

.

aaaa

Se quiser receber um e-mail avisando quando publicamos novo post, por favor, deixe seu email aqui. Obrigada, Dilu

BBB

Você poderá gostar de:

20 comentários em “Paris, amigos e alegria…

  1. Amiga
    Difícil comentar qualquer coisa depois do que acabei de ler. Você disse tudo sobre Paris. Você explicou muito bem o que foi e é alegria. Você temperou suas palavras como tempera o esplêndido alimento que só você sabe criar e fazer. Você deu vida, deu cara, deu gosto aos sentimentos e sensações que experimentamos juntos. Tudo perfeito! Fomos ao máximo de tudo. Tudo de bom, é claro. Ao máximo da alegria, ao máximo do companheirismo, ao máximo da cumplicidade e ao máximo da sinceridade . Nós nos apresentamos por dentro e agora dominamos o respeito e a intimidade de cada um de nós quatro. QUARTETO ALEGRIA , eu diria!
    Obrigada a você por sua bondade, pela boa vontade e disposição pra fazer maravilhas e nos assistir degustá-las, obrigada a você e ao Luiz Guilherme pela paciência e elegância infinitas e por nos guiarem pelas ruas claras, banhadas de sol e emolduradas por maravilhas indescritíveis dessa cidade mais linda que a própria lindeza! E obrigada Nossa Filha pela sua delicadeza e amizade! Sou sempre muito orgulhosa de ser sua … meio mãe, meio amiga!
    Beijos
    Verônica

    • Veronic, fiquei eu agora sem ter o que dizer, mas que adorei o QUARTETO ALEGRIA… ah… isso eu adorei!!! Sabe qual o motivo? Além de combinar perfeitamente conosco, me faz recordar o que vivemos, e recordar é viver. Estou aqui, agora, (re)sentindo nossa alegria, (re)lembrando os banais motivos de nossas gargalhadas, e te digo, relembrar as gargalhadas faz cosquinha na minh’alma. Obrigada por tudo!

  2. Dilu e amigos, o acaso por acaso não é acaso. O acaso me parece que vem das mãos Daquele que guiou vocês para encontrarem os lugares deslumbrantes. Mas mais deslumbrante que os lugares, é a graditão, é o sorriso fácil, é a amizade.

    • Que bom Simone. Vou tentar postar com mais rapidez, mas é tão difícil conseguir. Vivo tentando finalizar as viagens e não consigo nunca. Só a da Italia que estou levando mais adiante pois tenho de escrever pra uma revista, isso ta me impulsionando. Mas olha: se vc precisar de alguma coisa, por favor, me liga, tá?

  3. Ahhhh babei!
    Delícia imaginar como foram estes divertidos dias na cidade luz.
    O melhor tempero da viagem é mesmo o descompromisso, amigos e gargalhadas, e claro regado a muito champagne. Um brinde a vida e aos amigos. Santée

  4. Dilu , bom dia
    Eu recebo os posts do blog aqui no meu email e quero te dizer uma coisa quando eu não tenho como abrir fico me coçando de curiosidade . Eles me dão prazer de ler de acompanhar pq eles me divertem . Você tem a capacidade de fazer a gente viajar com você . Muito obrigada por se dedicar a divertir quem muitas vezes não tem condição de fazer as mesmas coisas . Eu digo sempre é uma maneira de viajar sem sair de casa . Um abraço no seu coração de amiga , companheira que ainda por cima tem gratidão . Parabéns !
    Vanessa

    • Ah Vanessa, puxa-vida! Sem palavras minha flor! Obrigada por vir e ler os posts, obrigada por me acompanhar, ainda com essa demonstração tão linda de prazer, obrigada por dizer que se diverte com o blog, enfim… obrigada por palavras tão carinhosas!

  5. Mineira, nós pensamos em alugar um local em Paris, mas te confesso, estamos muito receosos. Eu gostaria de saber se fora toda a alegria que fez parte da sua viagem, você tiveram problemas com o ap em si. E como você fez para alugar.
    Beijos, Katarina

    • Katarina querida, não tivemos problema algum, aliás, tivemos um probleminha com o fogão, que foi solucionado rapidamente. Tivemos também um probleminha com o aquecimento do banheiro da Louise, mas eles mandaram trocar o aparelho no mesmo dia. Alugamos pelo site AIRBNB http://www.airbnb.com.br Não se esqueça de pedir um desconto, nós pedimos e eles deram. Se precisar de alguma coisa e eu puder ajudar, estou às ordens! Bjss

  6. Quarteto Alegria,

    vocês realmente fizeram uma viagem inesquecível, cheia de historias boas pra contar.
    São estes momentos que a gente guarda da vida e que nínguem tira da gente, bom demais!
    E que venham outros em 2017. bjs.

    • kkkkk… Tá vendo, Verônica? Tão bom que virou apelido! Perfeito!
      Angela minha amiga querida, que estes outros que chegarão em 2017 venham trazendo você o João, e aí sim, chegaremos a perfeição com o SEXTETO ALEGRIA!!!

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CyberChimps