… tome este post como inspiração e vá! Vá a São Paulo! 

Passamos um final de semana prolongado e delicioso com alguns poucos e bons amigos. Se alguém gosta de seguir sugestões, lembre-se: a terra da garoa (que nem garoa mais) é o máximo! Deveríamos pegar um avião com destino a SP pelo menos 1 vez ao ano, coisa que pra nós acabou de virar missão, já que considero omissão passar muito tempo sem pisar nesta cidade de 22 milhões de habitantes que, segundo o Google, é o principal centro financeiro, corporativo, mercantil da América do Sul e a mais cosmopolita e gastronômica do Brasil. É uma cidade brasileira, mas parece que é de outro mundo. Ok, não precisa nem fazer as mesmas coisas, mas pelo menos uma vez ao ano…

.

… tome este post como inspiração e vá! Vá a São Paulo!

.

Se você tiver sem programação e quiser seguir este passo a passo saiba que pode, pois foi uma delícia! Vou colocar as fotos e, por elas, você monta seu programa. Saímos de BH no voo de 11 e pouco, chegamos em SP onde o Sr. José Console (veja o post Um taxista em São Paulo que você pode confiarjá nos esperava no aeroporto e, para não perdermos tempo, ele levou as malas para o hotel depois de nos deixar no restaurante PICCOLO. 

.

.

O nome do restaurante não faz jus ao seu nome: PICCOLO, que quer dizer pequeno, mas são 48 cadeiras distribuídas entre a parte de trás onde ficamos, varanda e calçada.

.

.

O PICCOLO tem um irmão famoso, o PÍU que saímos de BH sem conseguir reserva… (depois conto), mas confesso que adorei ter ido conhecer o menos célebre com seu ambiente despojado, bem ao estilo italiano

.

.

Eles não fazem reserva pro almoço, mas não esperamos nem 1 minuto. Nos colocaram perto de onde tudo acontece e estava tudo ótimo. Vi e senti o maravilhoso aroma de todos os pratos da cozinha italiana com toque contemporâneo que “passeavam” na minha frente.

.

.

Claro que tudo que é bom tem um ponto negativo. No caso do PICCOLO é o espaço, que nem tão pequeno é, mas as mesas ficam agarradas, bem parecido com NY e Paris.

.

.

Então, tivemos um pouco de falta de sorte e duas paulistas esganiçadas do nosso lado esquerdo não paravam de berrar 😳 .

.

Eu olhava pra elas tentando mostrar o quanto elas incomodavam, mas não adiantou. Tirei a foto pra mostrar a proximidade entre as mesas

.

Mas relaxe, nem tudo está perdido, pois a mesa do lado direito tinha um casal que não ouvíamos a voz deles – depende apenas da educação de cada um (apesar de saber que meus leitores são super fofos, educados, etc e tal fica a dica! 😆 ).

.

.

Bem, vamos ao que interessa: achei interessante os R$ 48,00 cobrados pelo menu executivo, coisa que não vemos em BH: excelente custo-benefício em comida feita com qualidade e generosidade.

.

.

Podemos escolher uma entre as 2 opções de entradas, um dos 8 pratos e uma das 2 sobremesa que eles escrevem no menu do dia, tudo muito atraente.

.

.

Mas não entramos na opção de 48,00, porque queríamos um dos 2 “snacks” que eles oferecem fora do menu: a burrata.

.

.

A burrata é servida de um jeito inusitado, com azeite dentro de uma pepita e o que achei mais divertido, vem defumada (veja o vídeo no qual podemos ouvir o tom de voz das pessoas).

.

.

.

Impossível não provar a Panelinha com Polenta e ragu de cordeiro ao Malbec…

.

.

O steak tartar vem com a assinatura do irmão famoso…

.

.

O Luiz tem algumas restrições vegetarianas e por isso pediu o Gnocchi recheado com fontina, molho San Marzano e pesto…

.

.

Além de super bem montado com umas telhas de parmesão, outras telhas de não sei o quê, o queijo puxava na hora que partia… afff! Simplesmente o melhor do almoço!

.

.

Outro motivo que me fez sair do menu executivo foi porque amo polvo e tinha essa opção na “seleção dos clássicos da noite” que são servidos no almoço, mas confesso: arrependi porque senti cada cheiro passando por mim…

.

.

O defeito estava na sobremesa, pouca demais pelo tanto que estava saborosa, leve, fresca, nada doce e ainda, linda: sopinha de morango, manjericão, suspiros de limão e sorvete de mascarpone.

.

.

Aí… depois do licor e café tivemos uma grata surpresa: o restaurante fica sob a batuta de Daniel Brum, filho de Solange Brum, proprietária do diVino, de BH, olha que bom: mineiro “regendo” em Sampa!

.

.

Além do PICCOLO, vem uma outra parte que vale uma ida à SP: saímos do restaurante e fomos… Ah, vou deixar pra contar amanhã, ok? Beijos e até!

.

Piccolo – R. dos Pinheiros, 266, Pinheiros – SP – Fone: 3213-8449

Horário: 12h às 15h – 19h30 às 0h (sáb. e dom. até 16h; fecha dom. jantar)

.

Veja aqui a delícia do post que fiz quando estivemos no Fasano de uma outra vez. Não perca, é hilário e super gostoso de ler!

Outras opções de hotéis:

Veja aqui Hotel THE CAPITAL

E aqui UNIQUE

E aqui EMILIANO

Aqui a dica do melhor e mais honesto taxista de SP:  Sr. José Consoli: 99107.79.40 – consoli_taxi@hotmail.com 

Veja outras dicas de São Paulo

São Paulo com espírito de GLUTONA 1

São Paulo com espírito de Comer, Rezar, Amar e muito Borogodó!

.

Veja o próximo post dessa viagem a SP

São Paulo com TOMIE OHTAKE

.

dddd

aaaa

 Se quiser receber um e-mail avisando quando publicamos novo post, por favor, deixe seu email aqui. Obrigada, Dilu

BBB

Você poderá gostar de:

6 comentários em “… tome este post como inspiração e vá! Vá a São Paulo! 

  1. Olha só D. Diluzinha, todo post tem uma promessa pro outro dia que nunca aparece. Cadê o pudim? Amanha vou ficar esperando o resto de Sao Paulo pq tô indo pra lá no feriado. Beijokas!

  2. Oi Dilu !!
    Conhecemos e tb aprovamos o Piccolo .
    Estamos muito felizes com a volta para Bh , mas sentimos falta exatamente dessas opções saborosas e que cabem bem no nosso bolso .
    Bh tem condições de ter .
    Vamos aguardar

  3. Dilu! Que delicia !!! Quero ir!!! Falta é tempo!!! Não sei como você está mantendo o corpinho com tantas gostosuras!!! Amo a Solange! Ela foi minha professora no cursinho da Edna e, com certeza a responsável pelo meu sucesso na prova aberta de Português! Ela é fera!!! Legal saber que o filho dela está nesse restaurante! Deu mais vontade de conhecer!!! Bjs

  4. Por ai dá pra gente ver que é possível fazer comida boa com preço acessível e pq os restaurantes insistem em não fazer?

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CyberChimps