YVES SAINT-LAURENT está bem vivo na Avenue Marceau!

Mais uma novidade aqui em Paris vem iluminando ainda mais a cidade luz: o recém inaugurado Musée Yves Saint-Laurent. Para sua abertura foi escolhida a primeira coleção do estilista, primavera-verão/1962. Embora as exigências de conservação de muitas peças exigissem que elas ficassem expostas apenas por seis meses, a mostra poderá ser visitada durante um ano.

.

.

Não posso dizer tudo o que sinto, mas irei fazer meu melhor até o fim. Dou minha palavra” – palavra do homem Yves Saint-Laurent – e palavras que me fazem pensar o que ele sentiria hoje, ao ver a recém abertura do museu dedicado ao seu trabalho como um dos maiores grands couturiers do Século XX.

.

Aos 21 anos Saint-Laurent substituiu Christian Dior na Dior

.

Em ponto nobre de Paris, o museu está instalado no mesmo palacete onde o gênio da alta-costura criou suas “obras de arte”.

.

.

São 450m2 com vestidos, acessórios, esboços, fotos, vídeos que refletem o gênio criativo de Yves Saint-Laurent e mostram o processo de criação de uma coleção prêt-à-porter.

.

.

A exposição mostra como o estilo feminino mudou com Yves Saint-Laurent, ‘o revolucionário’: smoking, casaco estilo safari, macacão, trench coat  e vestidos que reproduziam telas de Mondrian adentraram os armários das mulheres mais chics do planeta.

.

.

E mostra também algo que chega a emocionar: a paleta de cores da primeira coleção da Yves Saint-Laurent, o estilista.

.

.

O espaço onde ele trabalhava foi respeitado e se encontra quase o mesmo que era na sua época, com sua mesa, seus livros, seu retrato, seus óculos…

.

.

Um dia, com voz trêmula, Saint-Laurent declarou que havia decidido dizer adeus a profissão que tanto amou… só que as permanentes filas na porta do museu mostram que a profissão não deu adeus a ele, o homem, o estilista, o gênio da alta costura…

.

.

Quem assistiu ‘Yves Saint-Laurent’, o filme, pode entender sua chamada: “A moda passa, o estilo é eterno“. E agora, com ‘Yves Saint-Laurent’, museu, vemos que eterno mesmo é quem disse a frase: “Se impedirem de me expressar, morrerei!” Só que não! Ele não morreu! Yves Saint-Laurent, o eterno, está bem vivo na Avenue Marceau.

.

De terça a domingo – 11h às 18h
Horário prolongado às sextas até às 21h
Fone: 01 44 31 64 00
Entrada – 7 euros

.

Se quiser receber um e-mail avisando quando publicamos novo post, por favor, deixe seu email aqui. Obrigada, Dilu

 

Você poderá gostar de:

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CyberChimps