BOLO DE NATAL – Maria de Menicucci

BOLO DE FAMÍLIA PARA A ÉPOCA NATALINA

Por Maria de Menicucci

Minha bisavó Ciranda era uma cozinheira de mão cheia. Todo Natal, preparava este bolo super especial e o ofertava à sua família e a todos os seus amigos. Durante muitos anos foi assim. Hoje, mantenho esta tradição familiar e graças a ele, descobri minha paixão pela culinária.

nm

Lindo e gostoso!

Eu era muito pequena quando a minha bisavó faleceu. Ficamos vinte anos órfãos de vó e desta delícia natalina. Eu mesma nunca provei, mas meus parentes viviam falando que era uma maravilha e sempre curiosa, me perguntava: “Que sabor este bolo deve ter??”. Então mãos à obra! Peguei a receita da família e fiz vários testes até chegar no ponto certo, segundo a opinião de meus familiares.

nn

Embrulho maravilhoso! Créditos para minha mãe!

Descobri a história deste bolo de Natal com a ajuda da minha professora de culinária. Ele tem como origem a Ilha da Madeira – famosa pela produção de cana de açúcar – onde tradicionalmente é feito no dia 8 de Dezembro, dia da Nossa Senhora da Conceição. É servido somente no dia do Natal e segundo a tradição portuguesa, guardam o último bolo por um ano inteiro, para ser aberto somente no próximo Natal. Sinceramente, não tenho coragem de fazer isso, até porque é difícil resistir… Rsrsrsss… Só aguento esperar por até um mês, quando o bolo atinge o ponto perfeito para ser consumido. Não estraga, quanto mais envelhecido, mais gostoso fica! Por isso deve ser preparado com um mês de antecedência, para presentear aos amigos e familiares.

mn

Tudo feito com muito carinho!

Os portugueses chamam carinhosamente de “Bolo de Família” porque é compartilhado entre a família, na época festiva.

Bolo Maria

BOLO DE NATAL
  • · 100g de tâmaras picadas
  • · 100g de ameixas picadas
  • · 100g de amêndoas picadas
  • · 100g de laranja cristalizada picadas
  • · 100g de figo cristalizado picados
  • · 100g de uvas passas branca e preta
  • · 4 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • · 1 colher (chá) de canela em pó
  • · 1 colher (chá) de cravo em pó
  • · 1 colher (sopa) de fermento em pó
  • · 1 pitada de noz moscada
  • · 2 xícaras (chá) de rapadura ralada
  • · 1 xícara (chá) de manteiga
  • · 6 ovos (claras em separado)
  • · 1 xícara (chá) de melado de cana
  • · 50 ml de conhaque de uva

Juntar tâmaras, ameixas, amêndoas, laranja, figo, uvas, noz moscada, canela em pó, cravo em pó, fermento e farinha de trigo. Mexer tudo com a espátula para envolver completamente as frutas na farinha e deixar a mistura dos temperos homogênea. Reserve.

Separe as claras das gemas e guarde as claras na geladeira para preservá-las.

Juntar a rapadura, gema, melado, conhaque e manteiga na tigela da batedeira e bater em alta velocidade tudo junto até a massa ficar clara. Despeje a massa à mistura de farinha com frutas e misture à mão com a ajuda de uma espátula. Preste atenção para não deixar restos de farinha no fundo da tigela.

Enquanto estiver misturando a massa, bata na batedeira as claras em neve. Quando a massa estiver bem misturada, acrescente metade das claras em neve. Mexa com muito cuidado, com movimentos de baixo para cima com a espátula, envolvendo a massa em cima da clara de neve. Acrescente a outra metade das claras em neve e termine de misturar com cuidado.

Coloque a massa sobre uma fôrma forrada com papel manteiga ou untada com manteiga. E coloque num forno pré-aquecido a 180°C, por 1 hora, até que o bolo encolha nas bordas ou que o palito saia seco (testar em vários pontos do bolo, porque o palito pode pegar um pouco do melado, o que é normal).

Quando estiver pronto, deixe o bolo esfriar, desenforme e embrulhe com papel alumínio e guarde em local seco e escuro por 8 dias ou mais. Quanto mais tempo envelhecido, mais gostoso fica! O bolo recém-saído do forno não fica tão gostoso e fica melado demais, mas depois de 2 semanas a 1 mês maturando fica muito saboroso e mais seco. Não deve ser guardado na geladeira, deve estar em temperatura ambiente. Não se preocupe porque o bolo não mofa.

Uma observação: este bolo é difícil de ser assado por causa da massa pesada, por isso é muito importante que conheça muito bem o seu forno e utilizar a fôrma certa. É recomendável fazer o bolo em fôrma pequena. Caso que queira fazer em fôrma grande recomendo que use a fôrma com furo no meio, porque o meio do bolo tende a ficar cru por ser difícil de assar e afunda muito. Todos os bolos que eu asso sempre afundam um pouco, não se desespere quando isso acontecer.

BAIXAR RECEITA

aaaa

Se quiser receber as atualizações do Dilucious cadastre-se no http://dilucious.com.br/?page_id=2766

Curta e acompanhe a fanpage do Dilucious. Se gostar, compartilhe!

ser com arte

 

 

 

Você poderá gostar de:

37 comentários em “BOLO DE NATAL – Maria de Menicucci

  1. Maria, fico realmente emocionada com essa receita. Sei que atrás dela vem muitos testes, emoções e histórias. Fico também envaidecida por você ter escolhido a mim e ao blog para compartilhar tamanha delícia. Super obrigada e espero que esse bolo leve com ele, além do sabor, muitas alegrias para o Natal e todos os dias de 2014, daqueles que o fizer. Bjs amore, fica com Deus e com minha enorme saudade!

    • Esta receita tem muito significado para mim e para a minha família. Os parentes sempre me contam sobre a bisavó Ciranda e o bolo dela! De como os meus tios roubavam um pedaço escondido dela quando eram pequenos! Eu nem curtia a culinária, morria de preguiça, mas mesmo assim a curiosidade falou mais alto e queria experimentar este bolo. Escolhi o seu blog porque tem a capacidade de alcançar mais pessoas que compartilham do mesmo prazer da vida e acredito que as receitas maravilhosas não foram para serem guardadas e sim compartilhadas das mesma forma que compartilhamos o nosso amor ao próximo. Mil beijos e Feliz Natal para todos!

      • Oi Maria,
        Fiz o seu bolo para o Natal. Como você falou, quanto mais tempo guardado mais saboroso fica…. o meu ficou durante um mês. Ficou maravilhoso! Muito gostoso!!! Quando tiver mais receitas saborosas doce ou salgada compartilhe conosco! Parabéns pela iniciativa.
        Um abraço Ione

        • Fico feliz que o seu bolo tenha dado certo!! Esta receita é muito especial pois é um bolo que dividimos com a família!
          Sempre que eu encontrar alguma receita muito interessante, vou dar para a Dilu publicar aqui no blog!

          Beijos!!

    • Faça esta receita, se der errado tente mais uma vez! Comigo deu errado uma vez e acertei na segunda tentativa! E ficou uma delícia! Aprendemos mais errando!

  2. Maria, além do texto do post, sua resposta pro lindo comentario da Dilu é emocionante e mostra a delicadeza de sua alma. Obrigada linda menina. Um abraço e muitas felicidades pra vc e pros seus familiares. Pr vc tb Dilu.

  3. Depois que descobri esse blog, nao consigo mais entrar na internet sem passar aqui. Amanha vou no mercado comprar os ingredientes que nao tem aqui em casa e fazer esse bolo. Braçao proces!

  4. Mais do que a receita, que já é um presentão, recebo a demonstraçao de carinho que ainda existe entre pessoas do bem. Parabens a vcs que fazem desse blog um ponto de encontro de coisas agradaveis de ver, ouvir e sentir e comer tb. Feliz Natal!

  5. Maria, não sei cozinhar, mas adoro comer! rsrsrsrs Fico feliz em saber quanta gente dá valor a família da mesma maneira que eu. Aqui no blog da Dilu então isso virou tradição, nos comentários podemos sentir o carinho de todos uns com os outros formando uma grande família. É, a nossa família de sangue e a nossa família de amigos escolhidos ao longo da vida. É um prazer sentir que faço parte da coleção de amigos do Dilucious! Viva a família, sempre!

    • Eu que nem sabia fazer arroz nem feijão fiz este bolo, ou seja, não é impossível de fazer! Também adoro comer!!! Felizmente hoje estou aprendendo a cozinhar direito pois faço aulas particulares com uma professora maravilhosa. Percebi que o ato de cozinhar tem um grande poder de reunir amigos e família na mesa, foi isso que me cativou tanto! Minha família adora sentar na mesa no dia em que tenho as aulas para experimentar os quitutes que preparei!

  6. Amei.Nada mais perfeito do que combinar uma boa receita de bolo com história de família.Quando vi a foto pensei que fosse Panetone,que amo muito,mas quando li a receita fiquei com a sensação de ser ainda melhor que um Panetone.

  7. Maria,
    Parabéns por ter resgatado esse sabor de infancia para todos da familia e obrigada pelo seu carinho em dividir com a gente essa receita tão especial.
    Esse bolo deve mesmo ser maravilhoso!
    Desejo a voce um Feliz Natal com muita paz,amor e alegrias.
    beijo

    • Stella querida!

      Você não imagina a carinha dos meus familiares quando eu comecei a fazer este bolo, era como se tivessem voltado a ser crianças!

      Feliz Natal!!! Mil beijos!

  8. Querida Maria,

    Só hoje vi esta postagem e fiquei muito encantada e com vontade de tentar este bolo. Acho que pessoas que compartilham receitas de família ultrapassaram uma fase de apego. Custei a chegar a este ponto ao qual chegou tão nova. A forma como embalou está linda e confesso, ao falar de Imaculada Conceição me remeteu à minha avó, D. Conceição que me criou e me fez ver nesta santa um sinal de bons presságios. Vou tentar, se errar vou recorrer a você. Eu não gosto de Natal, sabe Maria. Mas faço todo ano porque sou praticamente a única mulher que restou em minha família, uma família de homens. Este ano vou fazer o bolo de sua bisa Ciranda para o dia de Reis. que já está em janeiro, mês que amo! Você mesma me deu esta idéia ao dizer que fica melhor depois de um mês. Maria, me diga, posso deixá-lo fora do freezer um mês? Em temperatura ambiente? Como guardo? Um beijo pra ti, obrigada pelo carinho de compartilhar.

    • É para guardar em temperatura ambiente, embrulhado em papel alumínio em local escuro e seco. Não pode guardar na geladeira porque assim o bolo não chega no ponto certo para ser consumido. Ele deve ir secando com o tempo e maturando o sabor! Sim pode guardar o bolo por mais de 1 mês, eu mesma tenho bolos aqui que fiz no início de novembro. Ao presentear, decore e embale com um celofane!

      Nunca fui apegada à receita de família, acho que deve ser passada adiante para não ser esquecida! Inclusive a minha bisavó ganhou esta receita de uma amiga. É por isso que penso que o apego é uma grande bobagem e periga da receita ser esquecida caso que o ente da família morra e ninguém mais faça a receita. Foi isto que aconteceu na minha família até eu resgatar com muito custo porque o livro de receitas da minha bisavó era guardado a sete chaves e ninguém da família se interessava em cozinhar. Foram 20 anos sem este bolo de natal! Te falo que o meu Natal teve mais sentido quando eu passei a fazer os bolos, fico pensando nas pessoas, presentear a quem tenho muito carinho! Imaginar o rosto de alegria ao receber o bolo. Acho muito mais legal dar algo que foi feito por você do que comprar presente numa loja, o natal tinha se tornado muito mercenário.

      Beijos!!

  9. Maria, que espetáculo de receita…e com todas estas histórias agregadas fica ainda mais saboroso…obrigada por compartilhar aqui no blog da Dilu…beijinhos

  10. Maria! Fiz! Acho que deu certo! Cheirou a casa toda. Fiz como falou, embrulhei no papel alumínio e pus na dispensa. Vou olhar daqui a sete dias e volto pra contar. bj

    • A casa fica bem cheirosa mesmo! Hmmm!!! Fiz ontem o bolo para mim e vai ser difícil esperar para comer!! Não esqueça de me contar como ficou o bolo!!! Beijos!

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CyberChimps