D.O.M. e DOM

d.o.m.Sempre que alguém me pergunta se tenho vontade de montar um restaurante, respondo com segurança e total displicência que cozinhar em casa é completamente diferente de cozinhar para desconhecidos. Para isso é preciso ter “dom”. Essa semana estou cometendo um delírio, o maior que já fiz na cozinha. Estou saindo da zona de conforto da cozinha da minha casa para “chefiar” a cozinha do restaurante D’Artagnan, em um Festival de Gastronomia. Imagina…  Menu degustação com oito passos. É engraçado, pois o assunto que até uma semana atrás era respondido com displicência, agora adquiriu importância. Estou me julgando assim um pouco despida. De fora de mim mesma, observo a dilu oferecendo margem de as pessoas se sentirem no direito de entrar no que ela mais ama, penetrar na privacidade da sua cozinha, meter a colher em sua panela, colocar água no seu feijão, exagerar no sal ou abusar do seu açúcar. Mas… E a dualidade imensa do geminiano? Rsrsss… De dentro de mim mesma, observo a Dilu sentindo alegria, jubilo, contentamento, felicidade… Se achando e achando que tem “dom”.

Viajei “na maionese”. Rsrsrsss Comecei esse post querendo falar sobre o restaurante D.O.M. e me perdi. Introduzi o assunto do festival porque desejo contar a vocês o que me inspirou na criação do prato que elegi como principal. Foi um dos pratos do Alex Atala – esse sim, tem “dom” e é chef/proprietário do D.O.M. – que me levou a escolher dois dos ingredientes. Vou falar sobre isso e ainda aproveitar para descrever nossa experiência no então “quarto melhor restaurante do mundo”.

.

.

D.O.M.                                                                DOM

Deus Optimus Maximus                             Dádiva divina

 

.

Nos Jardins, o arquiteto Ruy Ohtake imprimiu sua marca de bom gosto no restaurante D.O.M., onde a decoração sobressai num moderno calmo e aconchegante.

.

dom montagem

.

Na janela onde se tem visão de toda a cozinha, a coleção de santinhos e souvenirs. Alex Atala tem o dom, mas nada impede que queira ser protegido. A “favelinha”, como é chamada por ele, estreou com São Jorge, que está lá desde a abertura do restaurante. Essa manifestação de sensibilidade, além de linda, quebra o ar austero que sempre imaginamos ter os grandes.

.

Na janela onde se tem visão de toda a cozinha, a coleção de santinhos e souvenirs.

Na janela onde se tem visão de toda a cozinha, a coleção de santinhos e souvenirs.

.

Fomos ao D.O.M. uns dias antes de sair a lista de 2013 da S. Pellegrino World´s 50 Best Restaurants, que de quarto, o rebaixou para o sexto melhor restaurante do mundo.

.

Dom

.

É notório o quão necessário é fazer reserva com meses de antecedência, mas batemos na imensa porta do D.O.M. na tardinha de um sábado e a simpaticíssima hostess disse que poderíamos tentar, aguardando na fila de espera. Resolvemos voltar a noite com a cara e coragem e, alegremente, esperamos no bar, em pé, por uma hora. Aproveitamos para experimentar um drink feito com calda orgânica, beber e beliscar coisinhas…

.

Nesses lugares o tempo passa rapidamente...

Nesses lugares o tempo passa rapidamente…

.

Pronto! Já estávamos assentados. Então… Vamos ao que realmente nos interessa. Achei o couvert meio fraquinho. Das outras vezes foi servida pimenta Cambuci em conserva, super interessante. Mas nesta noite, pãezinhos vieram com uma coalhada seca e uma pasta a base de alho não muito gostosa e manteiga da marca Aviação. (Isso me fez lembrar dos últimos restaurantes que fomos na Normandia onde a manteiga parece uma princesa, de tão linda).

.

Couvert um pouco sem graça

Couvert um tanto quanto sem graça

.

Para o jantar a única opção são os menus degustação. Atala acredita que é difícil captar em apenas um prato a experiência gastronômica proposta pelo D.O.M.. É possível escolher o menu de quatro ou o de oito pratos, e o melhor, tem menu vegetariano.

.

Menus são impressos de acordo com o que é servido

Os menus são personalizados e impressos de acordo com o que é servido

.

Luiz escolheu o menu vegetariano harmonizado com água. Água? Como assim, água? Sim… Você leu certinho, é água mesmo! Rsrsss…

.

 

Menu harmonizado com água

Menu vegetariano harmonizado com água

.

O maitre anota qualquer restrição alimentar ou algum ingrediente que você não gosta. Como não sou apaixonada por ostra, falei… (Quem fala demais dá bom dia a cavalo, sabia Dilu?) Antes a ostra que essa coisinha gostosinha, mas insossa que, na minha opinião, nem de longe poderia estar na mesa do quarto melhor restaurante do mundo. Adorei o drink de jabuticaba.

.

Macaxeira frita na manteiga de garrafa, catupiry e redução de vinho do Porto Acompanha um drink feito à base de espumante e licor de jabuticaba

Macaxeira frita na manteiga de garrafa, catupiry e redução de vinho do PortoAcompanha um drink feito à base de espumante e licor de jabuticaba

.

Alex Atala, apaixonado pelo Brasil, corre o mundo difundindo açaí, jambu, cupuaçu e tucupi. Mas no D.O.M. eles não dão o ar da graça. Senti falta dos ingredientes e fiquei imaginando o porque deles não estarem presentes nesta cozinha que se diz brasileira. Ok, mas o que veio foi um champignon de Paris. Meio preto demais, opsss… tostado demais!

.

Champignons de Paris tostados e crus com mandioquinha defumada e alho negro

Champignons de Paris tostados e crus com mandioquinha defumada e alho negro

.

O chef se tornou famoso pelos pratos com base nas clássicas cozinhas italiana e francesa, mas todos recriados, dando destaque para os ingredientes nacionais. E aí, lá estava eu comendo batata doce com bernaise.

.

Batata

Batata doce com bernaise chimarrão

.

Ele é um dos mais importantes defensores de uma gastronomia brasileira autêntica, reinventada, que vai além dos temperos mineiros ou baianos.

.

Cavalinha com salteado de cogumelo e palmito com molho de limão, azeite e mel de abelha silvestre

Cavaquinha e pupunha com molho de limão, azeite e mel de abelha silvestre

.

O D.O.M. propõe, como diz Atala, que os comensais tenham uma “nova” experiência gastronômica ao resgatar os autênticos sabores brasileiros sob um olhar contemporâneo.

.

Gel de tomates verdes

Gel de tomates verdes

.

Era água de banana, de cambuci, lima, pitanga, tangerina, teperebá… Claro que o Luiz harmonizou seus pratos, além das águas, com um vinho branco que combinou perfeitamente com todos. Rsrssss…

E dá-lhe agua! rsrsss

E dá-lhe água! rsrsss

.

A primeira vez que usei arroz negro aqui em casa foi quando a Louise tinha cinco anos. Alugamos apartamento em Paris e ficamos uma temporada por conta. Por conta quer dizer que me enfurnava por horas dentro das mercearias, sabia tudo que tinha em cada prateleira. Descobri aqueles grãos pretinhos, lindos, curiosos e apetitosos no Bon Marche… Pura novidade! Na época achei maravilhoso, mas catorze anos depois comê-lo em restaurante que dita as normas… Não gostei.

Arroz negro levemente tostado, legumes e leite de castanha do Pará

Arroz negro levemente tostado, legumes e leite de castanha do Pará

.

Sinceramente… Além da overdose, pupunha também já deixou de ser novidade há pelo menos dez anos. Passou da hora de parar com as “variações sobre o mesmo tema”. Foi outra decepção!

.

Fettuccini de pupunha à carbonara

 Pupunha na manteiga e sálvia, parmesão e pó de pipoca

.

Para falar a verdade, estou confusa, não sei qual pupunha é qual. Também… foi uma fartura! Dá-lhe água e dá-lhe pupunha! Rsrsrss…

Pupunha à carbonara! Tá faltando um pouquinho de criatividade?

Pupunha à carbonara! Será que faltou um pouquinho de criatividade?

.

Em compensação, Alex Atala pratica a gastronomia sustentável ao privilegiar ingredientes genuinamente brasileiros, dando preferência aos produtos cultivados pelo pequeno agricultor e comunidades ribeirinhas. Além disso, ele criou uma linha de produtos chamada Retratos do Gosto com uma variedade de ingredientes, na qual, entre eles está o mini arroz.

.

Brandade de Bacalhau com Tutano

Brandade de Bacalhau com Tutano

.

Então queridos, voltando ao que comecei falando no inicio desse post, foi experimentando esses dois pratos do D.O.M., destaques da noite, que me veio a ideia de criar o Bacalhau, Mini arroz e Tutano para o festival do D’Artagnan. Estou muito ansiosa para ver a reação dos que vão participar. Espero que gostem.

.

Mini arroz de garoupa com azeite de baunilha do serrado

Mini arroz de garoupa com azeite de baunilha do serrado

.

A costelinha a seguir foi o ponto alto do jantar… MA-RA-VI-LHO-SA!!!! Tudo bem que repetiu a mandioca, mas… Ela veio finalizando com chave de ouro!

.

Costelinha ao Malbec com mandioca Brás

Costelinha ao Malbec com mandioca Brás

.

Tivemos um clássico do restaurante. Acho que desde a primeira vez que fui ao D.O.M., o Aligot já era servido. É uma mistura de batata, queijo Minas e Gruyére. Apesar de meio “batido”, eu gosto. Talvez ele ficaria mais interessante se chegasse mais quentinho e num restaurante menos estrelado.

.

Aligot

Aligot

.

Ah… as sobremesas! Como elas são difíceis! Tenho pensado muito nisso, e chegado a conclusão que só as antigas são saborosíssimas, aquelas que a mãe da gente fazia. Verdade ou mentira? Bem… A torta estava gostosinha, porém não consegui entender a presença da rúcula. É a segunda vez que vejo essa folha amarguinha em sobremas (amo mini rúcula em foie gras, salada e pizza). A primeira foi em Barcelona, no OMM. Eles a usaram em sorvete. Essa mistura de sabores me parece um pouco improvável. Deve ser bom… Eu é que não estou sabendo.

Torta de castanha do Pará, sorvete de whiskey, mini rúcula selvagem, calda de chocolate, sal, pimenta e curry.

Torta de castanha do Pará, sorvete de whisk, mini rúcula selvagem, calda de chocolate, sal, pimenta e curry

.

Eu tinha muita curiosidade quando via Alex Atala fazendo essa próxima sobremesa, ravioli de limão. Fiquei um pouco frustada, pois não é definitivamente uma experiência das mais deliciosas com banana. Luiz achou uma bobagem sem gosto, e nem a harmonização salvou a sobremesa.

.

Piprioca - Ravioli de banana

Piprioca – Ravioli de limão e banana ouro

.

Vieram algumas coisinhas – mignardises para ser mais chic. Deliciosos, eu amo!

.

Petit Four

Petit Four

.

Esse jantar aconteceu quando o D.O.M. ainda era considerado o quarto melhor restaurante do mundo. Foi dias antes de sair a lista de 2013, a qual era cotado a ser o primeiro. Hoje ao escrever esse post, é considerado o sexto. Primeiro, quarto ou sexto do MUNDO faz alguma diferença? Nenhuma. O que altera, sim, é você entrar em um restaurante com a expectativa de que vai comer a primeira, quarta ou sexta melhor comida do mundo. Isso sim, faz toda a diferença e faz com que seja difícil avaliar a experiência. Até colocar os pés no “templo da gastronomia”, você fantasia que será intensa e completamente feliz. Por causa disso, nem sei se posso dizer que em nada surpreende. A não ser a harmonização com as águas. Essa sim, é no mínimo, inusitada.

Restaurante D.O.M. é o melhor, mas... Veja o post aqui

.

A experiência gastronômica não ficou barata. Porém, todos sabem o quanto vale a fama. Quem quiser uma brincadeira by Alex Atala at D.O.M., não pode pensar em cifras. Mas pode lembrar que “dom” significa dádiva divina. D.O.M. significa: “Deus Optimus Maximus”. Inegavelmente, Alex Atala tem muito dom, e tem o D.O.M. Para quem ama gastronomia, conhecer tudo isso vale a experiência!

.

aaaa.

Se quiser receber um e-mail avisando quando publicamos novo post, por favor, deixe seu email aqui. Obrigada, Dilu

.

ser com arte

Você poderá gostar de:

31 comentários em “D.O.M. e DOM

  1. Dilu,lindo post…fotos,comentários e texto.
    O melhor da critica/opinião/sugestão, é o reconhecimento do dom!!

    Bjos.

    • Junia, depois que li esses comentários, fiquei pensando se exaltei pouco o dom do grande chef Alex Atala. Na realidade isso é uma coisa tão notória que achei que nem seria necessário. Obrigada querida.
      Aliás, gostaria de mostrar o seu dom aqui no blog, topa?

  2. Você pode dizer que está fazendo a loucura de comandar a cozinha de um restaurante no festival e fazer pratos para desconhecidos, mas eu acredito que a maioria dos presentes neste festival serão os seus amigos, ou seja, você estará cozinhando para os amigos que estarão no restaurante só para te prestigiar! Estou curiosa para saber como você foi parar na cozinha de um restaurante.

    Um prato do cardápio me intrigou foi justamente o bacalhau. Meus pais adoram o bacalhau de todas as maneiras imagináveis, acho que eles serão super felizes na noite do jantar. Mas eu tenho problema com bacalhau, é o único peixe que não gosto! O meu pai diz que é porque eu nunca comi bacalhau bem feito de verdade hahaha lembro de você falar comigo que eu não gosto porque ainda não provei o seu bacalhau!

    Tenho uma amiga que já foi no D.O.M. e não amou a experiência. Diz ela que eram tantos pratos que ela não aguentava mais comer e não acha tão bom, no sentido de ser inesquecível, quanto os outros restaurantes que conhece. Acho que o Atala é admirável pela criatividade, mas penso que às vezes devemos nos esforçar menos na hora de elaborar os pratos para que não fiquem muito distante da comida “real”, aquela que estamos acostumados de comer na rua ou em casa da avó, senão não nos apetece. Nunca fui fã de sobremesas salgadas, para mim elas têm que ter a cara de sobremesa de antigamente e com sabor adocicado! Acho que iria no restaurante D.O.M. se eu tivesse como escolher um prato que eu queira comer e não ser obrigada a pedir o menu de degustação imenso, gosto de ter a liberdade.

    Estou no aguardo pelo seu jantar! Será uma noite agradável com a minha família e tem um monte de coisa do cardápio que eu adoro. Tentarei fazer fotos lindas dos pratos para você guardar de lembrança.

    • Maria, a Marise me ligou dizendo que estava encantada com o blog e que gostaria de fazer um festival para eu cozinhar. A principio, respondi o mesmo que respondo a outros donos de restaurante, pois sempre levo na brincadeira porque sempre acho que é brincadeira por parte deles. Porém, ela insistiu e eu acabei gostando da idéia. Claro que questionei mil vezes com ela que não daria nenhum IBOPE e que o D’Artagnan teria prejuízo. Ela sempre positiva e dizendo que não tinha a menor preocupação, pois tinha certeza que ia esgotar. Ela estava certa, pois em 28 horas, esgotou tudo. Rsrsrs Foi uma surpresa boa, agora é esperar que tudo saia conforme o planejado.

      kkkkkkkkkk Não precisa anunciar que te falei isso… Foi brincadeira! rsrssss Mas olha só, nós pensamos nisso. Para quem não come bacalhau, teremos um peito de frango. Escolhemos o frango por acharmos que combina com os outros ingredientes que fazem parte do prato. Maria, mais que o bacalhau, eu gostaria que vc experimentasse o tutano. É muito genial. E o mini arroz com o chutney de banana é delicia. Mas vc tem de me prometer que irá pelo menos provar o bacalhau, ok?

      O menu degustação te dá a liberdade de escolher entre 4 ou 8 pratos e se vc não gosta de algum ingrediente, vc pode dizer. Não é imenso e muito menos, pesado. Acho que vale como experiência. E conhecer um pedacinho do mundo desse grande artista Alex Atala, para quem ama gastronomia, chega a ser emocionante. Outra coisa, ele abre para almoço e tem um gnocchi com rabada inesquecível. E tem o prato executivo, mas aí é outra história.

      Que bom que vc vai fotografar. Vou adorar! Obrigada minha querida e por favor, torce por mim. Bjss

      Ah adorei a palavra intrigante. Vou usá-la. Obrigada!

      • Então, eu estava de olho nos acompanhamentos do bacalhau! Eu queria muito prová-los, por isso estava no dilema: “não gosto de bacalhau, mas quero muito provar as coisinhas que vêm junto dele!”. Sim prometo que experimentarei um pedaço do bacalhau! Sorte sua que hoje sou bem aberta às experiências, tenho provado comidas novas. São 2 coisas que detesto depois de ter provado várias vezes em diferentes versões: banana e manga. Teve uma vez que comi purê de banana terra delicioso, mas é que ele não tinha gosto de banana e estava uma delícia! No outro dia comi pastel Thai com chutney de manga do Humberto Passeado e me esbaldei com ele. Só não pode ter gosto de manga.

        Fico muito feliz com o seu sucesso e também por eu ter conseguido fazer a reserva a tempo!! Nunca provei um prato seu e estou bem curiosa para te conhecer melhor, descobrir a sua personalidade através do sabor!

  3. Dilu, Sinto que Deus distribuiu seus dons, sem limites e generosamente a todos os seres da Terra. Acredito que, quem diz não ter dom para coisa alguma, ainda não sondou-se o suficiente para descobrir. Quando penso em “dons”, imediatamente imagino que Deus nos deu dons acreditando que não os deixaríamos morrer em nós mesmos, que faríamos uma coisa, representada por uma palavrinha que adoro: compartilhar.

    Esta semana irá compartilhar, dar de si e de seu dom a mais pessoas. Irá se expor. E isto é muito bacana. Estar exposta é sempre um risco, muito mais pelo coração, pelo afeto ( ou não) das pessoas que te avaliam, pela abertura ao risco de se expor àqueles que não conhece. O risco objetivo, acredito, é pequeno quando nos expomos mostrando ao mundo a qualidade daquilo que fazemos por puro dom. Vou te confessar uma coisa. Quando li a promoção no Face, pensei, lendo apressadamente, que se tratava de uma promoção parecida com a anterior. Como não aprecio nem siri e nem bacalhau ( embora não desgoste aponto de não suportar) não me interessei em participar. Quando descobri que seria feito por vc, já era tarde, lotação esgotada.
    Se soubesse teria ido. Não tenho dúvidas que um dia destes teremos a oportunidade de nos vermos pessoalmente. mas seria pra mim uma linda oportunidade de experimentar o novo, o que não é meu cotidiano, o que talvez não goste tanto porque não comi por alguém que tem distribui o o seu dom e aproveita a oportunidade que Deus lhe deu de poder aprimorá-lo em suas aventuras mundo afora, num eterno aprendizado. Imagino que estará entre amigos, em sua maioria. Mas torço que tenha alguéns por lá, para quem tudo seja novo, inclusive você.

    Se fosse uma estréia no teatro, saberia bem o que te dizer rsrs. Mas sendo num restaurante, te digo: siri e bacalhau pra vc, revisitados pelo seu dom da alquimia. Espero pelas fotos, que seja enriquecedora esta sua brincadeira séria de se expor de uma forma nova. bjs

    • Amore, que bom vc aqui de novo. Fiquei com muita saudade! Ainda mais voltando com um comentário tão maravilhoso como esse, que desde a primeira frase já me fez esboçar um sorriso de satisfação. E o arrepio veio vindo devagarinho no primeiro parágrafo.

      Vera, se por acaso algum dia um beija flor invadir…. Mas tb se esse lindo beija flor não aparecer, saiba que sou eu te mandando um beijo grande. Agradeço a Deus cada vez que vc vem de mansinho e deposita tanta coisa boa de se ler, de ouvir, de pensar, de lembrar para sempre…

      Você vai ficar para sempre nos meus pensamentos e no meu coração. Uma outra hora falo a respeito dessa parte terrestre ou prática das coisas, essas pequenas coisas de comida, jantar, etc. Agora não dá! Quero ficar só com o início do seu comentário. Bjs

  4. O mais próximo que encontrei para esse post: Razão e Sensibilidade. Parabéns Dilu, e tenho certeza do sucesso do festival, seu coração é lindo! bjo

    • Ah minha querida nova amiga, obrigada. Nunca ouvi isso: “Seu coração é lindo!” Que lindo! Acho que vc confundiu… não deve ser exatamente o meu…

  5. Vc sabe que adoro o que escreve , Desta vez não foi diferente , vc faz exatamente o que dissemos aqui , a gente viaja junto , no caso específico , jantei com vcs no D O M …. Sinceramente , nunca participei de um jantar nesses moldes , acho que não teria dificuldade alguma paraa me adaptar … Tenho muito orgulho de termos o restaurante do Atala , como um dos melhores do mundo , no entanto , não entrarei nos detalhes do menu que foram abordados por vc , por desconhecimento de causa . Quanto ao Festival que vc programou , no qual estaremos presentes , acho que é consequencia natural do sucesso do seu blog e da forma como vc interage com quem comenta aqui e na page … Não vou me alongar muito , falando da certeza do sucesso do evento , de sua vivencia , que permite afirmar isso … Deixo hoje algumas palavras da Ana Pavlova , que parecem escritas pra vc e para o momento que vc está vivendo ….
    ” Ninguém pode chegar ao topo armado apenas de talento .
    DEUS dá o talento , o trabalho transforma o talento em genio ”
    – Ana Pavlova –
    Pra min , esta é vc querida Dilu ! DEUS te deu o talento e vc através do seu lindo e saboroso trabalho , se transformou em uma pessoa genial ! Muito sucesso no festival e sempre …. bjs .

    • Ah meu Deus! Meu Deus! Como meu coração, lindo segundo Ana Paula, pode aquentar tudo isso em apenas um dia? Mas o que tenho a fazer é agradecer cada emoção dessa que estou aqui sentindo. Agradecer a bondade e generosidade divina em ter me privilegiado dessa maneira. E só me resta pensar o que fiz pra merecer tanto…

  6. Querida Dilu, o que fez voce para merecer tanto?
    Ser voce mesma!
    Com o seu lindo coraçao,aberto a tudo e a todos.
    Deus te abençoou com dons que voce sabe como ninguem usar todos eles com muito carinho e amor.
    Feliz de nós que temos a oportunidade de compartilhar da sua amizade,seu coraçao e claro da sua mesa.
    beijos e sucesso!

    • Minha amiga tão querida, além de ser madrinha de vida, é sempre tão carinhosa… Obrigada por tudo, e saiba que sou eu a felizarda rsrssss

  7. Oi Dilu!!! Quando vi que o post era sobre o D.O.M parei tudo para ler… um dos meus sonhos culinários é ir lá!!!
    Mas o que quero mesmo comentar é sobre o que vc falou de sair do conforto da sua cozinha e cozinhar para outras pessoas… eu gosto de cozinhar e quando posso tiro minha mãe da cozinha e tomo conta das panelas dela, rs… Quando tem uma pessoa diferente aqui em casa já muda tudo, a zona de conforto desaparece e o desafio parece maior!!! rs
    Admiro sua coragem!!! Te desejo boa sorte e muito sucesso!!!
    Que venham outros festivais!!!
    Bjos!!!!

    • Ei Carla, que bom vc por aqui, adorei!
      Carla, eu tb adoro cozinhar em qualquer lugar, basta ter fogão… Mas sempre em casas muito próximas, que parecem mesmo a minha casa. Sair da zona de conforto é cozinhar em um lugar público, onde aqueles amigos escolhidos a dedo que sempre estão perto de vc, não estarão ali no seu pertinho (como dizia minha filha). Estarão lá nas mesas e vc estará lá dentro… longe, impessoal, ah esquisito, acho que não sei explicar o que estou sentindo, pq ainda não sei o que sentir… O novo faz a gente sofrer por antecipação, não é? Depois que passa, vc nem lembra os pensamentos que por algum momento te incomodaram… rsrsrss Uma hora vamos conversar sobre isso, pessoalmente, espero.
      Obrigada querida, volte sempre
      Bjss

    • Carla, ontem falamos de vc e eu queria muito, mas muito mesmo que vc estivesse fazendo parte daquela mesa. Senti um aperto no coração qdo vi as meninas (maravilhosas, por sinal) enviando fotos dos pratos para vc. Por causa disso, desejo te conhecer pessoalmente e faço questão, de assim que arrumar uma santa de uma ajudante, poder te convidar e a elas para participarmos juntas de uma mesa com o mesmo astral de ontem. Não que eu queira te fazer vontade, mas quero que saiba que não foi a comida a estrela, mas sim, o astral. Eu que já estava encantada antes de conhecê-las pessoalmente, agora estou apaixonada. A gente se vê. Bjs

      • Oi Dilu!!!
        Fiquei tão feliz quando a Fabiana, minha prima, me mandou mensagem contando que você perguntou por mim!!! rs
        Queria muito ter ido, pena que não pude!!!
        Acho muito bacana ter contato com as pessoas pela internet e depois conhecê-las pessoalmente!!! Com certeza teremos outra oportunidade!!!
        A Sãozinha falou que nunca comeu tão bem na vida dela!! Depois que vi as fotos dos pratos, deu para ter uma ideia do que ela sentiu… pelo menos com os olhos!!! rs
        Não sei se as meninas te contaram, mas estudo para concurso público… quero ser delegada… por isso não tenho muito tempo para ficar na internet, mas quero muito “viajar” pelo seu blog, com calma, e ler suas experiências que parecem incríveis!!!
        Obrigada pelo carinho!!!
        Bjos!!!

        • Ah Carla…, a Sãozinha é uma linda, mas exagerada. rsrssss Muito fofa mesmo, adorei as duas.
          Amiga, eu entendo, tb ja tive meu tempo de não ter tempo pra nada, a não ser para trabalhar. Mas daqui a pouquinho Deus vai te ajudar a passar nesse concurso e vc vai colher só coisa boa. Que Ele te abençoe, viu?
          Bjs

    • Lina, fiquei muito feliz de vc ter ido ao jantar no dia extra. Ainda mais que foi na ultimíssima hora. Espero que tenha gostado e que tenhamos correspondido às suas expectativas. Bjs e meu muito obrigada

  8. Fabulous, fabulous, fabulous..,
    Excelente artigo. Chefiar uma cozinha não é fácil, especialmente quando se é o mestre da noite. Boa sorte! Tenho certeza que vai ser sucesso absoluto. Reservas esgotadas. Parabéns! Na próxima oportunidade quero estar presente. Bjs

    • Felix, acabo de responder a essa minha querida amiga Maria Eugenia, que estou em estado de graça. Não consigo pensar em outra resposta, que não essa. Hoje a única coisa que realmente consigo fazer, é agradecer. Bjs meu querido

  9. Querida Dilu,(que deve estar exausta,porém muito feliz,ainda dormindo,mas,sobre os louros da vitória!)
    Você nos proporcionou ontem “uma noite dos deuses”!
    Realizei meu desejo de provar para meu marido,meus filhos,noras e genros que Dilu existe,tem mãos-de-fada e é capaz de transformar seus próprios sonhos em maravilhas concretas,que nos fazem…sonhar! Gostaria que você pudesse ter escutado os comentários e ter visto “o revirar dos olhos” diante de tal encantamento. Todos êles agora sabem que o que eu lhes contava não eram Histórias da Carochinha…Você ganhou mais 9 fãs!
    Sem falar na minha emoção ao encontrar lindas pessoas que me foram apresentadas por seu blog, também admiradoras desta Fadinha- de -carne-e-osso!
    It’s bliss!
    Parabéns,Dilu!
    Um beijo,
    Família Couri

    • Ah minha mais maravilhosa do mundo! Vc realmente não existe. Nossa!!!, estou mesmo muito feliz, muito agradecida em primeiro lugar a Deus, muito realizada, muito notando como minha vida se alegrou, enfim, muito em estado de graça… Nada disso é por causa da comida (nunca a menosprezando, pois é ela que agrega), mas sim, por essas pessoas. Pessoas maravilhosas, que têm lagrimas nos olhos, sorriso sincero de satisfação estampado no rosto, palavras de carinho que saem sem o menor esforço, gestos de atenção que nem devem ser citados… Só posso acrescentar ao que vc falou, que depois de vc e essas queridas, minha vida passou a valer ainda muito mais a pena! Obrigada, obrigada, obrigada, obrigada……………………..
      Maria Eugenia, deve ter sido vc quem escreveu que “o homem não morre quando deixa de viver, e sim quando deixa de sonhar”. Rsrssss… Vc fala de sonhos com a facilidade de quem bem sabe como os sonhos sempre vem nos acordar com uma sensação de promessa, de um amanhecer mais bacana. Eles podem fazer parte do cotidiano de cada um de nós, mas para isso, basta querer sonhar sonhos coloridos. Imagino, e vc também deve vivenciar isso diariamente, que enquanto sonhamos, semeamos sementes de vida na nossa própria vida, e na das pessoas próximas a nós. Sonhar faz nossa alma brilhar, faz nosso coração bater esperançoso, faz a vida parecer um jardim… Não sei onde li, que Deus um dia sonhou com vc, comigo e enviou Jesus! Então… obrigada, obrigada, obrigada, obrigada……………………….. Amo vcs!

    • Amiga, vc não vai acreditar! Estou aqui meio arrepiada! Respondi sua mensagem, quando acordei, ainda na cama. Agora pequei seu cartão de ontem e pedi ao Luiz que traduzisse… Et… ne pas oublier de rêver… Lembrei do que vc escreveu, do que te respondi e pensei: Não pode ser! Coloquei no Google tradutor: “E .. não se esqueça de sonhar …” Disse hoje em resposta ao comentário da Bebela, que Deus está presente em cada segundo da minha vida,e essa é mais uma comprovação disso. Bjs amiga querida

  10. Dilu,querida,
    Acredito sim!
    Para os mais racionais , fenômenos assim não passam de simples coincidência. Para nós e para aqueles que tendem a fazer uma leitura “mágica” da vida, as coincidências podem ter inúmeras interpretações e significados, e até mesmo serem vistas como “sinais divinos”. Isto se chama Sincronicidade.Que Deus esteja sempre presente em cada segundo das nossas vidas!
    Merecidos parabéns!
    Hats off to the chef!
    Um beijo,
    Maria Eugenia

  11. Amiga amada, é muito mais fácil tirar o chapéu para pessoas que promovem, incentivam e cultuam o que vc promove, incentiva e cultua.
    Ontem não tive um minuto de tempo. Hoje não pude te ligar, mas pensei em vc toda hora. Amanha te ligo. Bjss

  12. Oi querida ! Quantas surpresas maravilhosas e novidades estão postadas! Amei! Tinha um tempinho que nao saboreava estas delicias!!!! Beijos

Deixe seu comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CyberChimps